LEIA ANTES DE ACESSAR O CONTEÚDO

Este blog tinha como objetivo, apenas de ser um complemento para alunos do ensino médio, no que refere as Ciência Humanas AGORA também estaremos postando aulas com assuntos das Ciências Natureza (Biologia, Química e Física).


17/06/2013

Geografia e a nova matriz do Enem

A análise da nova matriz do Enem indica que o ensino de ciências humanas continua enfrentando o mesmo desafio de mobilizar as competências e habilidades desenvolvidas pelos jovens brasileiros na sua experiência social para o posicionamento reflexivo diante do mundo ao seu redor. Para isso, a sala de aula deve se transformar cada vez mais em um observatório de fatos marcantes da vida em sociedade, ajudando o aluno a relacionar os conteúdos das disciplinas escolares com os acontecimentos do seu dia a dia. Contudo, isso não é possível sem o aprofundamento da leitura de documentos e obras de referência, além do livro didático e de outros tipos de texto (jornais e revistas, por exemplo), visando à ampliação do repertório do aluno e o contato com diferentes pontos de vista expressos em diversas linguagens (cartográfica, pictórica, textual, entre outras).
Dessa forma, sugerimos como foco principal das aulas de ciências humanas o desenvolvimento da compreensão leitora desses documentos históricos e geográficos. Vejamos alguns exemplos.

• Comparação e interpretação de diferentes opiniões e pontos de vista
A partir de diferentes textos jornalísticos, os alunos deverão identificar as principais informações que os artigos apresentam, confrontando a opinião dos autores em relação ao assunto.

• Análise de manchetes de jornal
Tendo em vista que a manchete de um jornal é o título de maior destaque entre as notícias contidas na edição, e sua função jornalística é a de chamar a atenção e sugestionar o leitor, desafiar os alunos a pensar na intenção dos editores do periódico.

• Leitura e interpretação de mapas, gráficos e tabelas
Essas formas de representação e organização de dados não devem ser utilizadas em sala de aula meramente como ilustração. Pelo contrário, a discussão desses elementos deve assumir lugar central no diálogo entre o professor e seus alunos. Diversos tipos de exercícios podem ser desenvolvidos, como a transposição de uma forma para outra (organizar uma tabela a partir de um gráfico ou vice-versa) e a elaboração de pequenos textos descritivos ou comentários de mapas.

• Análise do registro fotográfico em seu contexto histórico-geográfico
Da mesma forma que os mapas e gráficos, as fotografias não devem ser utilizadas apenas como ilustração, mas como um tipo de texto não verbal que recorta e foca a realidade a partir do ponto de vista de seu autor. Assim, a discussão sobre os registros fotográficos permite que os alunos estabeleçam relações entre os elementos contidos nesses documentos e os contextos histórico-geográficos dos quais fazem parte. Entre esses elementos, o professor poderá chamar a atenção para os planos da imagem (o que está na frente e atrás), o enquadramento (o que está no centro, na parte superior ou inferior, à direita e à esquerda) e a posição do fotógrafo diante do que foi fotografado.


Enfim, esse conjunto de atividades que faz parte da reflexão das ciências humanas é um estímulo para os alunos expressarem suas opiniões, aplicando os conhecimentos adquiridos nas aulas na compreensão leitora de documentos relevantes e se posicionando diante das ideias neles contidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...