LEIA ANTES DE ACESSAR O CONTEÚDO

Este blog tem como objetivo, ser um complemento para alunos do ensino médio, no que refere as Ciência Humanas.


16/07/2014

QUESTÕES DE SOCIOLOGIA DO ENEM 2013: Competências, Habilidades, Comentários e Gabarito Oficial


Enem - Como estudar sociologia para o Enem - questões comentadas
O Estudo da disciplina para o Enem consiste em estar atualizado. Ler jornais diariamente e fazer muitas, muitas questões de exames anteriores. Essa é a melhor forma de dominar as questões que cobram a disciplina. Com o objetivo de ajudar o estudante, postarei, regularmente, questões atualizadas da disciplina. Bons estudos! Professor Arão Alves

1. (Enem 2013)  Seguiam-se vinte criados custosamente vestidos e montados em soberbos cavalos; depois destes, marchava o Embaixador do Rei do Congo magnificamente ornado de seda azul para anunciar ao Senado que a vinda do Rei estava destinada para o dia dezesseis. Em resposta obteve repetidas vivas do povo que concorreu alegre e admirado de tanta grandeza.

“Coroação do Rei do Congo em Santo Amaro”, Bahia apud DEL PRIORE, M. Festas e utopias no Brasil colonial. In: CATELLI JR., R. Um olhar sobre as festas populares brasileiras. São Paulo: Brasiliense, 1994 (adaptado).

Originária dos tempos coloniais, a festa da Coroação do Rei do Congo evidencia um processo de

(A) exclusão social.   
(B) imposição religiosa.   
(C) acomodação política.   
(D) supressão simbólica.   
(E) ressignificação cultural.   


GEOGRAFALANDO COMENTA:

[Resposta do ponto de vista da disciplina de História]

O Congado, ou Festa do Rei Congo, é um movimento de sincretismo religioso realizado no Brasil desde os tempos coloniais. A festa é uma mistura de cultos católicos e africanos, na qual se comemora, ao mesmo tempo, a vida de São Benedito, o encontro de Nossa Senhora do Rosário e a vida do negro Chico-Rei.



[Resposta do ponto de vista da disciplina de Sociologia]

A festa da Coroação do Rei do Congo, também chamada de Congado, é uma importante manifestação cultural brasileira. Ela surgiu durante o período colonial, a partir de um processo de ressignificação cultural de festas africanas. Desta maneira, somente a alternativa [E] pode ser considerada correta.



A alternatva correta é a letra:[E]



  
2. (Enem 2013)  TEXTO I

Ela acorda tarde depois de ter ido ao teatro e à dança; ela lê romances, além de desperdiçar o tempo a olhar para a rua da sua janela ou da sua varanda; passa horas no toucador a arrumar o seu complicado penteado; um número igual de horas praticando piano e mais outra na sua aula de francês ou de dança.
Comentário do Padre Lopes da Gama acerca dos costumes femininos [1839] apud SILVA, T. V. Z.Mulheres, cultura e literatura brasileira. Ipotesi — Revista dos Estudos Literários, Juiz de Fora, v. 2. n. 2, 1998.


TEXTO II

As janelas e portas gradeadas com treliças não eram cadeias confessas, positivas; mas eram, pelo aspecto e pelo seu destino, grande gaiolas, onde os pais e maridos zelavam, sonegadas à sociedade, as filhas e as esposas.
MACEDO, J.M. “Memória da Rua do Ouvidor [1878]”. Disponível em: www.dominiopublico.gov.br. Acesso em: 20 maio 2013 (adaptado).

A representação social do feminino comum aos dois textos é o(a)

(A) submissão de gênero, apoiada pela concepção patriarcal de família.   
(B) acesso aos produtos de beleza, decorrência da abertura dos portos.   
(C) ampliação do espaço de entretenimento, voltado às distintas classes sociais.   
(D) proteção da honra, medida pela disputa masculina em relação às damas da corte.   
(E) valorização do casamento cristão, respaldado pelos interesses vinculados à herança.   


GEOGRAFALANDO COMENTA:
Ambos os textos descrevem o universo feminino no século XIX. Nesse período, a vida das mulheres era marcada pela submissão, apoiada pela concepção patriarcal da família. Enquanto o texto I faz uma representação idealizada do universo feminino, o segundo texto mostra uma mulher presa e privada da sociedade. 

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Sociologia]

 Os textos apresentam mulheres que não têm liberdade para de escolha, que vivem sob a tutela de seus pais ou maridos e que são educadas para os afazeres domésticos. Desta maneira, são relegadas a um regime de submissão de gênero, não tendo as mesmas possibilidades de inserção social que os homens.



[Resposta do ponto de vista da disciplina de História]

O Patriarcalismo, característica social que predominou na Europa até o século XIX e foi transferida para o Brasil Colonial, em especial na sociedade do açúcar, colocava o homem como centro da sociedade, relegando a mulher um papel secundário e submisso.

A alternativa correta é a letra: [A]
  
3. (Enem 2013)


O artista gráfico polonês Pawla Kuczynskiego nasceu em 1976 e recebeu diversos prêmios por suas ilustrações.

Nessa obra, ao abordar o trabalho infantil, Kuczynskiego usa sua arte para

(A) difundir a origem de marcantes diferenças sociais.   
(B) estabelecer uma postura proativa da sociedade.   
(C) provocar a reflexão sobre essa realidade.   
(D) propor alternativas para solucionar esse problema.   
(D) retratar como a questão é enfrentada em vários países do mundo.   

GEOGRAFALANDO COMENTA: 

Muitas vezes a arte nos serve para refletirmos a respeito da realidade. Na ilustração apresentada, o artista apresenta uma situação de duas crianças que possuem uma relação dissonante com o objeto “trem”: enquanto uma é obrigada a puxar um trem “em tamanho real” (retratando o trabalho infantil), a outra somente brinca com seu trem “de mentirinha”. Tal ilustração revela as contradições da sociedade: enquanto as crianças de uma classe social são obrigadas a trabalhar, as outras podem brincar.


A alternatva correta é a letra: [C]
  
4. (Enem 2013)  Mesmo tendo a trajetória do movimento interrompida com a prisão de seus dois líderes, o tropicalismo não deixou de cumprir seu papel de vanguarda na música popular brasileira. A partir da década de 70 do século passado, em lugar do produto musical de exportação de nível internacional prometido pelos baianos com a “retomada da linha evolutória”, instituiu-se nos meios de comunicação e na indústria do lazer uma nova era musical.

TINHORÃO, J. R. Pequena história da música popular: da modinha ao tropicalismo. São Paulo: Art, 1986 (adaptado).

A nova era musical mencionada no texto evidencia um gênero que incorporou a cultura de massa e se adequou à realidade brasileira. Esse gênero está representado pela obra cujo trecho da letra é:

(A) A estrela d’alva / No céu desponta / E a lua anda tonta / Com tamanho esplendor. (As pastorinhas, Noel Rosa e João de Barro)   
(B) Hoje / Eu quero a rosa mais linda que houver / Quero a primeira estrela que vier / Para enfeitar a noite do meu bem. (A noite do meu bem, Dolores Duran)   
(C) No rancho fundo / Bem pra lá do fim do mundo / Onde a dor e a saudade / Contam coisas da cidade. (No rancho fundo, Ary Barroso e Lamartine Babo)   
(D) Baby Baby / Não adianta chamar / Quando alguém está perdido / Procurando se encontrar. (Ovelha negra, Rita Lee)   
(E) Pois há menos peixinhos a nadar no mar / Do que os beijinhos que eu darei / Na sua boca. (Chega de saudade, Tom Jobim e Vinicius de Moraes)   

GEOGRAFALANDO COMENTA: 

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Sociologia]
Rita Lee é uma das artistas expoentes do chamado tropicalismo. A expressão “Baby baby”, utilizada em sua música, retrata a apropriação de uma expressão tipicamente americana, demonstrando exatamente incorporação da cultura de massa em um contexto brasileiro.


[Resposta do ponto de vista da disciplina de História]
Os tropicalistas – dentre os quais a banda Mutantes, da cantora Rita Lee – buscavam universalizar os temas da MPB, incorporando elementos da cultura jovem mundial, como o Rock e a guitarra elétrica, como mostra o exemplo da alternativa [D].


A alternatva correta é a letra: [D]
 
5. (Enem 2013)  Na produção social que os homens realizam, eles entram em determinadas relações indispensáveis e independentes de sua vontade; tais relações de produção correspondem a um estágio definido de desenvolvimento das suas forças materiais de produção. A totalidade dessas relações constitui a estrutura econômica da sociedade — fundamento real, sobre o qual se erguem as superestruturas política e jurídica, e ao qual correspondem determinadas formas de consciência social.

MARX, K. “Prefácio à Crítica da economia política.” In: MARX, K.; ENGELS, F. Textos 3. São Paulo: Edições Sociais, 1977 (adaptado).

Para o autor, a relação entre economia e política estabelecida no sistema capitalista faz com que

(A) o proletariado seja contemplado pelo processo de mais-valia.   
(B) o trabalho se constitua como o fundamento real da produção material.   
(C) a consolidação das forças produtivas seja compatível com o progresso humano.   
(D) a autonomia da sociedade civil seja proporcional ao desenvolvimento econômico.   
(E) a burguesia revolucione o processo social de formação da consciência de classe.   

GEOGRAFALANDO COMENTA: 

Para Marx, a sociedade existe a partir das relações materiais de produção, que são fundamentadas no trabalho humano.
Segundo Karl Marx e Friedrich Engels, o trabalho seria a expressão da vida humana, ou seja, por meio do  trabalho o homem transforma a natureza e a si mesmo. Essa condição foi alterada na sociedade capitalista, em que o homem passa a explorar a força de trabalho do outro homem.

A alternatva correta é a letra: [B] 
 
6. (Enem 2013)  O sociólogo espanhol Manuel Castells sustenta que “a comunicação de valores e a mobilização em torno do sentido são fundamentais. Os movimentos culturais (entendidos como movimentos que têm como objetivo defender ou propor modos próprios de vida e sentido) constroem-se em torno de sistemas de comunicação – essencialmente a internet e os meios de comunicação – porque esta é a principal via que esses movimentos encontram para chegar àquelas pessoas que podem eventualmente partilhar os seus valores, e a partir daqui atuar na consciência da sociedade no seu conjunto”.

Disponível em: www.compolitica.org. Acesso em: 2 mar. 2012 (adaptado).

Em 2011, após uma forte mobilização popular via redes sociais, houve a queda do governo de Hosni Mubarak, no Egito. Esse evento ratifica o argumento de que

(A) a internet atribui verdadeiros valores culturais aos seus usuários.   
(B) a consciência das sociedades foi estabelecida com o advento da internet.   
(C) a revolução tecnológica tem como principal objetivo a deposição de governantes antidemocráticos.   
(D) os recursos tecnológicos estão a serviço dos opressores e do fortalecimento de suas práticas políticas.   
(E) os sistemas de comunicação são mecanismos importantes de adesão e compartilhamento de valores sociais.   
GEOGRAFALANDO COMENTA: 

Castells afirma que “a comunicação de valores e a mobilização em torno do sentido são fundamentais” e que elas ocorrem essencialmente através da internet e de sistemas de comunicação. É exatamente isso que vemos no contexto egípcio de 2011, quando as redes sociais foram capazes de possibilitar uma importante mobilização política e popular.

A alternatva correta é a letra: [E]

  
7. (Enem 2013)  O jogo é uma atividade ou ocupação voluntária, exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e de espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e de alegria e de uma consciência de ser diferente da ”vida quotidiana”.

HUIZINGA, J. Homo Iudens: o jogo como elemento da cultura. São Paulo: Perspectiva, 2004.

Segundo o texto, o jogo comporta a possibilidade de fruição. Do ponto de vista das práticas corporais, essa fruição se estabelece por meio do(a)

(A) fixação de táticas, que define a padronização para maior alcance popular.   
(B) competitividade, que impulsiona o interesse pelo sucesso.   
(C) refinamento técnico, que gera resultados satisfatórios.   
(D) caráter lúdico, que permite experiências inusitadas.   
(e) uso tecnológico, que amplia as opções de lazer.   


GEOGRAFALANDO COMENTA: 
A fruição, ou seja, o desfrutar do jogo, acontece através exatamente do seu caráter lúdico que, dentro das limitações das regras do jogo, permite a existência de experiências inusitadas e diversas do cotidiano dos jogadores.
A alternatva correta é a letra: [D]


  
8. (Enem 2013) 

O cartum faz uma crítica social. A figura destacada está em oposição às outras e representa a

(A) opressão das minorias sociais.   
(B) carência de recursos tecnológicos.   
(C) falta de liberdade de expressão.   
(D) defesa da qualificação profissional.   
(E) reação ao controle do pensamento coletivo.   

GEOGRAFALANDO COMENTA:
Diferentemente de todas as outras personagens, a figura em preto não é um “boneco de corda”, além de estar voltada para uma direção inversa das demais. Isso demonstra sua autonomia de ação e pensamento, fugindo dos mecanismos de manipulação aos quais todos os outros são submetidos.

A alternatva correta é a letra: [E]


09 (Enem 2013)   

A África também já serviu como ponto de partida para comédias bem vulgares, mas de muito sucesso, como Um príncipe em Nova York e Ace Ventura: um maluco na África; em ambas, a África parece um lugar cheio de tribos doidas e rituais de desenho animado. A animação O rei Leão, da Disney, o mais bem-sucedido filme americano ambientado na África, não chegava a contar com elenco de seres humanos.

LEIBOWITZ, E. “Filmes de Hollywood sobre África ficam no clichê”. Disponível em: http://noticias.uol.com.br. Acesso em: 17 abr. 2010.


A produção cinematográfica referida no texto contribui para a constituição de uma memória sobre a África e seus habitantes. Essa memória enfatiza e negligencia, respectivamente, os seguintes aspectos do continente africano:

(A) A história e a natureza.   
(B) O exotismo e as culturas.   
(C) A sociedade e a economia.   
(D) O comércio e o ambiente.   
(E) A diversidade e a política.   

GEOGRAFALANDO COMENTA:

O texto ressalta filmes em que a África é vista em uma visão estereotipada, ressaltando seu exotismo e um olhar etnocêntrico desse continente. Por outro lado, tais filmes negligenciam a riqueza cultural dos povos africanos, assim como sua contribuição para a história do homem, construindo uma memória sobre a África partindo de pressupostos preconceituosos e etnocêntricos. Filmes que retratam “tribos doidas” estão enfatizando exatamente o exotismo da sociedade. Isso significa negligenciar a riqueza cultural desses povos que, por serem diferentes, são precipitadamente considerados como inferiores. 

A alternatva correta é a letra: [B]







10. (Enem 2013) 

TEXTO I

Há já algum tempo eu me apercebi de que, desde meus primeiros anos, recebera muitas falsas opiniões como verdadeiras, e de que aquilo que depois eu fundei em princípios tão mal assegurados não podia ser senão mui duvidoso e incerto. Era necessário tentar seriamente, uma vez em minha vida, desfazer-me de todas as opiniões a que até então dera crédito, e começar tudo novamente a fim de estabelecer um saber firme e inabalável.
DESCARTES, R. Meditações concernentes à Primeira Filosofia. São Paulo: Abril Cultural, 1973 (adaptado).

TEXTO II
É o caráter radical do que se procura que exige a radicalização do próprio processo de busca. Se todo o espaço for ocupado pela dúvida, qualquer certeza que aparecer a partir daí terá sido de alguma forma gerada pela própria dúvida, e não será seguramente nenhuma daquelas que foram anteriormente varridas por essa mesma dúvida.
SILVA, F.L. Descartes. a metafísica da modernidade. São Paulo: Moderna, 2001 (adaptado).

A exposição e a análise do projeto cartesiano indicam que, para viabilizar a reconstrução radical do conhecimento, deve-se

(A) retomar o método da tradição para edificar a ciência com legitimidade.
(B) questionar de forma ampla e profunda as antigas ideias e concepções.
(C) investigar os conteúdos da consciência dos homens menos esclarecidos.
(D) buscar uma via para eliminar da memória saberes antigos e ultrapassados.
(E) encontrar ideias e pensamentos evidentes que dispensam ser questionados.

A alternativa correta  é a letra “B
GEOGRAFALANDO COMENTA:

De acordo com René Descartes, o processo de formação do conhecimento dà-se a partir do método chamado por ele de ceticismo metodológico. Este consiste do pressuposto da dúvida de que um saber só pode ser reconhecido se puder ser provado. Dessa maneira, para se chegar à raiz do saber, será necessário questionar todas as ideias e pressupostos começando do zero. Só  assim, será alcançado o conhecimento verdadeiro e puro.



11. (Enem 2013) 
Os produtos e seu consumo constituem a meta declarada do empreendimento tecnológico. Essa meta foi proposta pela primeira vez no início da Modernidade, como expectativa de que o homem poderia dominar a natureza. No entanto, essa expectativa, convertida em programa anunciado por pensadores como Descartes e Bacon e impulsionado pelo Iluminismo, não surgiu “de um prazer de poder”, “de um mero imperialismo humano”, mas da aspiração de libertar o homem e de enriquecersua vida, física e culturalmente.
CUPANI, A. A tecnologia como problema filosófico: três enfoques, Scientiae Studia. São Paulo, v. 2 n. 4, 2004 (adaptado).

Autores da filosofia moderna, notadamente Descartes e Bacon, e o projeto iluminista concebem a ciência como uma forma de saber que almeja libertar o homem das intempéries da natureza. Nesse contexto, a investigação científica consiste em

(A) expor a essência da verdade e resolver definitivamente as disputas teóricas ainda existentes.
(B) oferecer a última palavra acerca das coisas que existem e ocupar o lugar que outrora foi da filosofia.
(C) ser a expressão da razão e servir de modelo para outras áreas do saber que almejam o progresso.
(D) explicitar as leis gerais que permitem interpretar a natureza e eliminar os discursos éticos e religiosos.
(E) explicar a dinâmica presente entre os fenômenos naturais e impor limites aos debates acadêmicos.


A alternativa correta  é a letra “D
GEOGRAFALANDO COMENTA:
Os pensadores Descartes e Bacon e os iluministas valorizam a razão como meio de libertação do homem, não somente das leis da igreja, mas também as leis da natureza. Nesse sentido a ciência surge como meio de conhecer e dominar a natureza, e se torna principal meio para se chegar a razão e ao progresso humano.









ENEM 2011 - Prova de Sociologia - comentada

=================



2ª Questão Enem 2011 – caderno Azul

O brasileiro tem noção clara dos comportamentos éticos e morais adequados, mas vive sob o espectro da corrupção, revela pesquisa. Se o país fosse resultado dos padrões morais que as pessoas dizem aprovar, pareceria mais com a Escandinávia do que com Bruzundanga (corrompida nação fictícia de Lima Barreto).

O distanciamento entre “reconhecer” e “cumprir” efetivamente o que é moral constitui uma ambiguidade inerente ao humano, porque as normas morais são

(A) decorrentes da vontade divina e, por esse motivo, utópicas.
(B) parâmetros idealizados, cujo cumprimento é destituído de obrigação.
(C) amplas e vão além da capacidade de o indivíduo conseguir cumpri-las integralmente.
(D) criadas pelo homem, que concede a si mesmo a lei à qual deve se submeter
(E) cumpridas por aqueles que se dedicam inteiramente a observar as normas jurídicas.

A alternativa correta  é a letra “C”
GEOGRAFALANDO COMENTA:
O texto da Folha de São Paulo trata da ambiguidade do povo brasileiro que apesar te ter plena noção dos comportamentos éticos e morais corretos não as seguem plenamente. As normas morais calcadas em preceitos criados pelo homem que determina como “como se deve viver” em comunidade. Essas normas, através do consenso, se materializam em leis em que os homens se submetem. Sendo assim, a alternativa correta é a letra D. A letra B não pode ser considerada correta, pois as normas morais não são parâmetros idealizados cujo cumprimento é destituído de obrigação. A obrigatoriedade existe, o homem a pode descumprir ou a burlar, entretanto, sabemos o que é considerado certo e errado. Tanto é assim, que as pessoas podem não fazer, mas reconhecem, tem a noção clara, como está no texto.

18ª Questão Enem 2011 – caderno Azul
Na década de 1990, os movimentos sociais camponeses e as ONGs tiveram destaque, ao lado de outros sujeitos coletivos. Na sociedade brasileira, a ação dos movimentos sociais vem construindo lentamente um conjunto de práticas democráticas no interior das escolas, das comunidades, dos grupos organizados e na interface da sociedade civil com o Estado. O diálogo, o confronto e o conflito têm sido os motores no processo de construção democrática.

SOUZA, M. A. Movimentos sociais no Brasil contemporâneo: participação e possibilidades das
práticas democráticas. Disponível em: http://www.ces.uc.pt. Acesso em: 30 abr. 2010 (adaptado)

Segundo o texto, os movimentos sociais contribuem para o processo de construção democrática, porque

(A) determinam o papel do Estado nas transformações socioeconômicas.
(B) aumentam o clima de tensão social na sociedade civil.
(C) pressionam o Estado para o atendimento das demandas da sociedade.
(D) privilegiam determinadas parcelas da sociedade em detrimento das demais.
(E) propiciam a adoção de valores éticos pelos órgãos do Estado.

A alternativa correta  é a letra “C”
GEOGRAFALANDO COMENTA:
Os movimentos sociais em conjunto com as ONG’s tentam dialogar e pressionar o Estado para obter melhorias nas condições de vida das classes menos abastadas, já que estas, em sua maioria, não se veem representadas pelos governos ditos democráticos, tendo que se articular por práticas na sociedade civil para buscar seus direitos.

2 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...