LEIA ANTES DE ACESSAR O CONTEÚDO

Este blog tinha como objetivo, apenas de ser um complemento para alunos do ensino médio, no que refere as Ciência Humanas AGORA também estaremos postando aulas com assuntos das Ciências Natureza (Biologia, Química e Física).


26/12/2014

1ª AULA: A Antiguidade Clássica – Roma Antiga: Monarquia (753 – 509 a.C.)


Fala galera ! Tudo bem? Na aula de hoje vamos  iniciar nossa falar sobre o mundo antigo mundo romano. Galera!!! Nessa nossa primeira aula vamos falar sobre os principais períodos correspondentes as fases de desenvolvimento da organização da civilização da Roma Antiga, destacando a sua primeira fase que é a Monarquia.

NOÇÕES PRELIMINARES:
  
O mito da fundação de Roma
Diz a lenda que Roma foi fundada no ano 753 a.C. por Rômulo e Remo, filhos gêmeos do deus Marte e da mortal Rea Sílvia. Ao nascer, os dois irmãos foram abandonados junto ao rio Tibre e salvos por uma loba, que os amamentou e os protegeu. Por fim, um pastor os recolheu e lhes deu os nomes de Rômulo e Remo. Depois de matar Remo numa discussão, Rômulo deu seu nome à cidade.

Essa explicação mítica é contraposta às pesquisas históricas e arqueológicas que apontam uma hipótese menos heroica sobre as origens de Roma. Segundo especialistas, a fundação de Roma ocorreu a partir da construção de uma fortificação criada pelos latinos e sabinos. Esses dois povos tomaram tal iniciativa, pois resistiam às incursões militares feitas pelos etruscos. No entanto, os mesmos etruscos vieram a dominar a região no século VII a.C.. A partir da fixação desses povos, compreende-se historicamente o início da civilização

Fundação:
Arqueologia – por volta de 1000 a.C. pelos latinos;
Lendária – 753 a.C. por Rômulo e Remo;

Limitrofes: Norte (Alpes), Sul (Mar Jônico), Leste (Mar Adriático), Oeste (Mar Tirreno)

Formação do povo Romano:

Os romanos eram descendentes dos italiotas, povo indo-europeu que ocupou a região central Lácio (italiotas: sendo divididos principalmente entre os latinos, os sabinos e os sanmitas), por volta de 2000 a.C.. Havia ainda na Península Itálica os gauleses Planície do Rio Pó, localizados ao no norte; os etruscos entre os rios Arno e Tibre, localizado no centro-norte; e os gregos, ao sul; onde foi constituída a Magna Grécia.

Fases da História:

Monarquia (753 – 509 a.C.);
República (509 – 27 a.C.);
Império (27 a.C. – 476).

Show de bola! Com base nessas noções preliminares vamos agora iniciar nossa aula propriemante dita falando da fase monárquica. OK!! Então vamos lá!!!

Galera o período que vai entre 753ª 509 a.C. corresponde a primeira fase da história de Roma, a  Monarquia. No período inicial de formação da Civilização Romana, a Monarquia constituiu-se após os processos de ocupação da região da Península Itálica.

Nesse período lendário, Roma foi governada por sete reis que tinham poder absoluto (Rômulo o primeiro rei de Roma. As informações que os historiados têm sobre o período indicam ainda a existência de mais seis reis, sendo dois sabinos, um romano e três etruscos).

Nos primeiros cem anos da Monarquia Roma era apenas uma pequena aldeia. Com a conquista dos etruscos, ocorreu uma rápida modernização da cidade.

Quem eram os etruscos?
Antes da criação da cidade de Roma, os etruscos se destacavam como uma das principais civilizações da porção central da Península Itálica. Os territórios etruscos alcançavam porções do Lácio e da Campanha. Cerca de doze centros urbanos eram ali distribuídos, estabelecendo uma economia bastante estruturada em razão das intensas atividades comerciais. Esse desenvolvimento se deu também em virtude das boas relações firmadas com os fenícios, fixados na porção norte do continente africano.
O Governo dos etruscos:
Por volta de 575 a.C., os reis etruscos passaram a governar Roma. Esse governo  influenciou de maneira decisiva o início da civilização romana. (Por que?) Porque ditaram leis prudentes em favor do artesanato e do comércio, com os quais Roma adquiriu grande importância.

Influência etrusca:

- Urbanização de Roma,
- Criaram canais de drenagem para secar pântanos
-Tornaram a área do Fórum o núcleo da cidade (mercado e assembléias),

Divisão Social da sociedades Romana no período monárquico (sociedade censitária)

Neste período a sociedade romana era dividida em:

- Patrícios: grandes proprietários de terras, privilegiados e detentores de direito político.
- Plebeus: pequenos proprietários e comerciantes; eram livres, mas não participavam da vida política.
- Clientes: prestavam serviços aos patrícios e em troca recebiam proteção e benefícios de cunho econômico.
- Escravos: prisioneiros de guerra sem direito algum







Qual era a função dos Reis? Os reis cuidavam de funções relacionadas à justiça, à religião e à guerra (o rei desempenhava as funções de supremo juiz, sumo sacerdote e comandante do exército). 

Havia ainda um órgão de apoio ao rei para que ele governasse uma instituição chiada junto a monarquia que era o Senado, que vamos já falar dele adiante. Além do Senado, a Roma tinha as Assembleias   


(o rei desempenhava as funções de supremo juiz, sumo sacerdote e comandante do exército).


Durante a Monarquia, Roma foi governada por um rei, chefe militar e religioso supremo com cargo vitalício, por um Senado, reunião dos chefes das famílias patrícias que elaboravam as leis e limitavam as ações do rei, e por uma Assembleia Curial, formada por todos os patrícios adultos que discutiam e votavam as leis elaboradas pelo Senado. Veja o infograma abaixo:

O que era o Senado? O Senado era um conselho formado pelos chefes dos diversos clãs, grupos familiares, onde os assuntos políticos eram debatidos. Nessa fase o Senado, é uma espécie de de conselheiros reais. Seus membros são de famílias de origem patrícias (isto é. eram nativos da cidade de Roma, nobre, a elite da cidade, eram os grandes proprietários dos latifúndios rurais.

Qual era a função do Senado Roma no período monárquico? Tinha a função de eleger os reis e a de aconselha-los. Essa relação Monarquia e Senado foi muito positiva para famílias patrícias até o quarto rei da Monarquia romano quando esses reis deram lugar a outros três de origem etrusca, monarcas, violentos e tirânicos, que desprezavam as opiniões do Senado. A partir de então, a relação entre Senado e Monarquia ficou conflituosa

em  509 a.C. uma tentativa etrusca de confiscar as terras dos patrícias, acabou na eclosão de uma revolta popular patrocinada pelos Patrícia. Onde temerosos de perder suas terras e seu prestigio político diante da tirania do rei etrusco  Tarquínio, o Soberbo, os patrícios acabaram nessa revolta destituindo-o do trono e em seu lugar  resolveram instaurar um Republica  


-FIM DA MONARQUIA
Antes de terminar a aula de hoje vamos fazer um gancho para ligando esta aula a nossa próxima aula. A dica são os plebeus:
Os plebeus, como vimos no inicio da aula em sua origem, compunham uma camada de trabalhadores livres que não estavam atrelados ao poder e à proteção dos proprietários de terra. Ao longo da história romana essa classe sofreu uma forte marginalização das instituições e no interior da cultura romana. Por não estarem economicamente atrelados às grandes propriedades de terra, os plebeus dedicavam-se ao comércio, o artesanato e ao trabalho livre. Entender essa característica vai ser de suma importância para entendemos os conflitos entre estes e os patrícios segunda fase da história da civilização romana - a republica.    
Por que. Porque essa será a principal característica da próxima fase.Então eté a próxima aula!   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...