LEIA ANTES DE ACESSAR O CONTEÚDO

Este blog tem como objetivo, ser um complemento para alunos do ensino médio, no que refere as Ciência Humanas.


22/08/2014

Agentes formadores relevo terrestre: Parte 02= Vulcanismo

 Na aula passada vimos que o  relevo terrestre pode ser definido como as formas da e superfície do planeta. O relevo se origina e se transforma sob a interferência de dois tipos de agentes: os agentes internos e externos.

e que os externos são chamados também de exógenos: intemperismo e a antropicidade (o fator humano)agentes externos. 
e que os internos são chamados também de endógenos: vulcanismo , tectonismo e abalos sísmicos ou terremotos;agentes internos


 
Estrutura geológica e mineração no Brasil (Foto: Colégio QI)
 Na aula de hoje vamos falamos dá continuidade a nossa fala sobre os  gentes internos, isto é,  aqueles que estruturam (formadores) o relevo terrestre. E nessa nossa 2ª aula vamos tratar doo vulcanismo.



 Vulcanismo
É um movimento interno da Terra, que expulsa material magmático do interior para a superfície. Os vulcões em constante erupção são chamados de ativos, os que não possuem atividade são chamados de extintos.

As duas áreas onde se concentra a maioria dos vulcões são:

a) Círculo de Fogo do Pacífico: concentra aproximadamente 80% dos vulcões, abrange áreas dos Andes até as Filipinas, passando pela costa oeste dos EUA e pelo Japão.

b) Círculo de Fogo do Atlântico: abrange áreas da América central, Antilhas e Mediterrâneo.


Vulcanismo e placas tectônicas:
A marioria dos vulcões localizam-se ao longo ou próximo dos limites das placas tectônicas. São os chamados vulcões de limites de placas. Porém, alguns deles localizam-se no interior deuma placa tectônica, sendo por isso denominado vulcões intraplacas, cujos exemplos mais conhecido é o  


a.3) Abalos Sísmicos ou Terremotos
Os abalos sísmicos podem ser chamados de terremotos, são movimentos naturais na litosfera, que se propagam através de vibrações. Podem ser percebidos pelas pessoas naturalmente ou por meio de aparelhos chamados sismógrafos.
A intensidade do abalo é variável. O fator que mais influi é a proximidade do local de origem (Hipocentro-interior) e o local onde se manifesta (Epicentro-superfície).

A escala mais utilizada e conhecida para se medir a magnitude é a escala Richter, que pode variar até nove.

Somente uma parcela muito pequena dos tremores podem ser sentida pelas pessoas. Nesses casos, suas conseqüências podem variar de uma pequena sensação de desequilíbrio ao desmoronamento de cidades inteiras, o que obriga muitas pessoas a abandonarem certas áreas. Com isso, os terremotos podem modificar intensamente as paisagens do espaço geográfico. Mesmo com incessantes pesquisas desenvolvidas em torno da origem dos terremotos, ainda não é possível prever com precisão quando e com qual intensidade um abalo sísmico pode ocorrer. Muitas vezes esses abalos ocorrem no mar (maremotos) gerando uma onda de catástrofe, como a que ocorreu na Ásia no dia 26 de dezembro de 2004, gerando ondas gigantes, as tsunamis, matando milhares de pessoas na região e gerando o caos e a destruição.

b) Exógenos (enterno): MODELADORES (esculpem as formas do relevo= planicie, planalto, deprenção :

São conhecidos como agentes modeladores do relevo (exógenos). Determinam a configuração do terreno a partir do desgaste e decomposição das rochas, processo conhecido como intemperismo.

Essa formação é determinada, sobretudo, por esses fatores:
- Ação Antrópica (ação do homem);
- Ventos;
- Mar;
- Geleiras;
- Rios.


Costuma-se definir as formas do relevo terrestre por seu aspecto, origem e composição, ou seja, pela natureza das rochas que as compõem. Podemos diferenciar formas no relevo da terra: montanhas, serras, planaltos, planícies e depressões.

· Montanhas: são as maiores elevações encontradas na superfície terrestre. Dá-se o nome de cordilheira a um conjunto de montanhas. Exemplo: Montanhas Rochosas (América do Norte), Cordilheira dos Andes (América do Sul), Alpes (Europa), Himalaia (Ásia) e montes Atlas (África).
· Serras: são relevos alongados com topos irregulares, por vezes isoladas. Em geral são alinhamentos de montanhas antigas que foram erodidas e mais tarde falhada. As irregularidades que apresentam se devem a movimentos de acesso e descendo de blocos das rochas fraturadas. A denominação serras também pode se referir às áreas de bordas de planalto (escarpas).
· Planaltos: são relevos aplainados que, por sua altitude (em geral superior a 300 metros), destacam-se em relação às áreas circundantes. Suas bordas são irregulares e apresentam saliências e reentrâncias resultantes da ação de um ou mais agentes erosivos (chuva, rio, vento). Dependendo da natureza das rochas, os planaltos podem assumir diferentes formas. No Brasil, por exemplo, nossos planaltos apresentam: chapadas – elevação com escarpas verticais e topo plano; escarpas – representam a passagem de áreas baixas para um planalto.
· Planície: superfície plana, formadas pelo acúmulo recente de sedimentos trazidos pela ação do mar, dos rios, das chuvas ou mesmo de lagos.
·Depressões: são áreas rebaixadas em relação aos relevos circundantes. Sua origem pode estar ligada a processos de erosão ou a afundamentos provocados por falhamentos. Pode ser: absoluta (abaixo do nível do mar) e relativa (acima do nível do mar). 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...