LEIA ANTES DE ACESSAR O CONTEÚDO

Este blog tem como objetivo, ser um complemento para alunos do ensino médio, no que refere as Ciência Humanas.


01/06/2014

RELEVO BRASILEIRO: características gerais

Objetivos da Aula:

Na aula passadas  agente falou sobre  as principais características do Relevo Mundial e suas principais formas. Na aula de hoje vamos tratar de um outro assunto muito cobrado em vestibulares e em concursos nacionais, que são as características do relevo brasileiro.

NOÇÕES PRELIMINARES:  O relevo brasileiro: Formas e Altitudes

O relevo brasileiro apresenta grande variedade morfológica (de formas), como serras, planaltos, chapadas, depressões, planícies e outras, resultado da ação, principalmente, dos agentes externos sobre estruturas geológicas de diferentes naturezas e idades. Os agentes externos que mais participaram da formação do relevo brasileiro foram o clima (temperatura, ventos, chuvas) e os rios.


Em sua porção continental, o relevo brasileiro não apresenta formas oriundas da atuação recente dos agentes internos (vulcanismo, tectonismo), como as elevadas montanhas que caracterizam as cordilheiras de tipo andino, alpino e himalaio. Apesar de as estruturas geológicas que lhe deram origem serem em geral antigas, as formas atuais de nosso relevo foram esculpidas principalmente ao longo do Período Tercéario e do início do Quaternário. Esses dois períodos pertencem à mais recente das eras geológicas: a Cenozóica.


No aspecto altimétrico, o relevo brasileiro caracteriza-se pelo predomínio de altitudes relativamente modestas. Apenas um ponto do território ultrapassa 3 mil metros de altitude: o pico da Neblina (3014 m), ponto culminante (mais alto) do Brasil, localizado no estado do Amazonas, próximo à fronteira com a Venezuela. Mais de 99% do relevo brasileiro possui altitudes inferiores a 1200 metros. O predomínio de altitudes medianas deve-se, de um lado, à inexistência de dobramentos modernos e, de outro, à intensa ação erosiva que, ao longo do tempo, desgastou as velhas estruturas geológicas mais salientes do território brasileiro, confirmando o caráter modesto dessas altitudes.

Aproximadamente 93% do território brasileiro apresenta altitudes inferiores a 900 m. A estrutura geológica corresponde aos grupos de rochas que formam as formas do relevo, no caso brasileiro, está dividido entre escudos cristalinos (rochas magmáticas e rochas metamórficas), datados e da Era Pré-Cambriana e correspondem a 36% do território brasileiro e as bacias sedimentares, datando da Era Paleozóica à Mesozóica, e outras mais recentes datam da era Cenazóica que totalizam ou correspondem 64% das formas de estruturas geológicas no país.  








Sobre a estrutura geológica brasileira

IMPORTANTE SABER:

O relevo brasileiro tem formação antiga e resulta principalmente da ação das forças internas da Terra e da sucessão de ciclos climáticos. A alternância de climas quentes e úmidos com áridos ou semi-áridos favoreceu o processo de erosão. O território brasileiro, de um modo geral, é constituído de estruturas geológicas muito antigas, apresentando, também, bacias de sedimentação recente.

Essas bacias recentes datam do terciário e quaternário (Cenozóico 65 milhões de anos) e correspondem aos terrenos do Pantanal Mato-grossense, parte da bacia Amazônica e trechos do litoral nordeste e sul do país. O restante do território tem idades geológicas que vão do Paleozóico ao Mesozóico (o que significa entre 570 milhões e 225 milhões de anos), para as grandes áreas sedimentares, e ao pré-cambriano (acima de 570 milhões de anos), para os terrenos cristalinos. As estruturas e formações rochosas são antigas, mas as formas de relevo são recentes, decorrentes do desgaste erosivo. Grande parte das rochas e estruturas do relevo brasileiro são anteriores à atual configuração do continente sul-americano, que passou a ter o formato atual depois do levantamento da cordilheira dos Andes, a partir do Mesozóico. Podemos identificar três grandes unidades geomorfológicas que refletem sua gênese: os planaltos, as depressões e as planícies.
CARACTERÍSTICAS GERAIS

- Formação antiga e muito desgastada
- possui  uma  estrutura  geológica  velha,  bastante  erodida, portanto de altitudes modestas.

IMPORTANTE: lembre-se que as estruturas e formações rochosas são antigas, mas as formas de relevo são recentes, decorrentes do desgaste erosivo.

- Apresenta  predomínio  de  altitudes moderadas  onde 93% possui altitudes, inferior a 900 m. Por que? A predominância de áreas de baixas altitudes,é devido os nossos terrenos terem sido formados na Era Cenozóica.

- A estrutura geológica corresponde aos grupos de rochas que formam as formas do relevo, no caso brasileiro, está dividido entre escudos cristalinos (rochas magmáticas e rochas metamórficas), datados e da Era Pré-Cambriana  e correspondem a 36% do território brasileiro e as bacias sedimentares, datando da Era Paleozóica à Mesozóica, e outras mais recentes datam da era Cenazóica que totalizam ou correspondem  64% das formas de estruturas geológicas no país.
Concluindo:

O território brasileiro, de um modo geral, é constituído de estruturas geológicas muito antigas, apresentando, também, bacias de sedimentação recente.
                              - Altitudes modestas:
                                     0 – 200 m = 41%
                                 200 – 900 m = 56%
                               900 – 1200 m = 2,5%
                                     + 1200 m = 0,5%

- Não apresenta  dobramentos modernos  o que confere ao território brasileiro não está  sujeito a movimentos tectônicos violentos, como terremotos de grandes magnitude.

Importante: a não ocorrência no país de desdobramentos modernos, contribui para que o relevo seja bastante desgastado e rebaixado isso devido intemperismo e pela erosão, fato evidenciado pelas modestas altitudes encontradas no país. 

- Apresenta  duas  formas, de estrutura geológica onde predominam  as bacias sedimentares;
                    ¾ = 64% corresponde a bacias sedimentares
                    ¼ = 36% corresponde a escudos cristalinos 


ATIVIDADE DE FIXAÇÃO:

1. Em relação ao território brasileiro, cerca de 64% é formado por bacias sedimentares, sendo os 36% restantes constituídos por plataformas ou escudos cristalinos. Desses, 32% pertencem à era Arqueozóica e 4% à era Proterozóica. Apesar de constituírem uma pequena área, os terrenos proterozóicos são muito importantes porque:

a) ali estão localizadas as reservas de petróleo e carvão.
b) possuem minérios, como, por exemplo, o granito e a ardósia.
c) contém reservas minerais importantes, como as de ferro e manganês.
d) possuem calcário, importante material para a fabricação de cimento.
e) na verdade, as reservas minerais estão localizadas em áreas do Cenozóico.

2. A partir do que você aprendeu em Estrutura Geológica do Brasil e Formação dos Solos, observe os mapas 1, 2 e 3; neles, as áreas assinaladas em preto correspondem, respectivamente, às rochas:
a) cristalinas, sedimentares e vulcânicas.
b) sedimentares, cristalinas e vulcânicas.
c) ígneas extrusivas, vulcânicas e metamórficas.
d) sedimentares, ígneas e cristalinas.
e) magmáticas, ígneas e vulcânicas.

3. Em relação às bases geológicas e ao relevo do território brasileiro, é INCORRETO afirmar que:

a) os terrenos proterozóicos apresentam grande importância econômica, pois aí se localizam recursos minerais como o ferro, o manganês, a bauxita, o ouro e outros.
b) as bacias sedimentares possuem grandes reservas de petróleo e carvão, sendo que Santa Catarina é o maior produtor de carvão mineral.
c) o relevo brasileiro é modesto, pois sofreu desgaste pelos agentes de erosão ao longo das eras geológicas, o que ocasionou a diminuição de suas altitudes.
d) o Brasil possui escudos antigos, bacias sedimentares e também os dobramentos modernos, com suas grandes altitudes.
e) os terrenos do planalto Atlântico são antigos, datam do Pré-Cambriano e, pelo desgaste sofrido, possuem trechos arredondados na forma de "pães de açúcar" ou morros em "meia-laranja".


4.Através da erosão geológica (um processo lento, equilibrado e renovador), foram esculpidos os morros, escavados os vales, formadas as várzeas e os deltas dos rios. O homem, no entanto, quando cultiva o solo, ou sobre ele constrói cidades, estradas e pontes, sem o uso de práticas de conservação do solo, desencadeia processos de erosão não-naturais, acelerados e altamente danosos.

Partindo de conceitos como os descritos acima, assinale a alternativa CORRETA:


a) a cobertura vegetal favorece a infiltração das águas pluviais, fenômeno que encharca o solo, prejudicando a agricultura.
b) a falta de cobertura vegetal provoca a diminuição do arraste do solo pelo aumento do volume de águas superficiais.
c) os fluxos de água concentrados podem provocar profundos sulcos nos solos, fenômeno facilmente corrigível.
d) a abertura de estradas de terra paralelamente ao declive de colinas e longas encostas desfavorece o processo erosivo.
e) a erosão antrópica causa perda de enormes volumes de solo e conseqüente assoreamento de rios, barragens e portos.



5. O relevo terrestre resulta da atuação de duas forças que trabalham em conjunto, chamadas de agentes do relevo. Esses dois conjuntos de forças são denominados de agentes internos (ou formadores) do relevo, e agentes externos (ou modeladores) do relevo. São agentes internos e externos, respectivamente:
a) tectonismo e intemperismo.
b) vento e erosão.
c) abalos sísmicos e vulcanismo.
d) águas subterrâneas e intemperismo.
e) águas correntes e seres vivos.
 

6.O relevo brasileiro:

a) apresenta uma estrutura geológica onde predominam os escudos.
b) foi afetado por inúmeras transgressões e regressões marinhas.
c) transformou-se profundamente sob a ação dos movimentos orogenéticos modernos.
d) apresenta uma estrutura geológica antiga e extremamente desgastada.
e) apresenta predominantemente baixas altitudes, pois sua estrutura geológica é recente.


7.Em função de sua estrutura geológica antiga, do trabalho dos agentes erosivos e da predominância de climas quentes e úmidos, o relevo brasileiro caracteriza-se pela prevalência de:

planícies, com alturas inferiores a 300 metros.
planaltos, com alturas inferiores a 1.000 metros e presença de formas arredondadas.
montanhas, com alturas entre 2.000 e 2.500 metros, com picos pontiagudos.
serras, arredondadas, e de altitudes superiores a 2.000 metros.
planaltos, de alturas inferiores a 300 metros.


8.Sobre a estrutura, composição geológica e relevo do território brasileiro considere as afirmativas abaixo:

I - O Brasil é um território muito rico em recursos minerais metálicos, principalmente nos 4% de área formadas por escudos da era proterozóica.
II - Um exemplo de bacia sedimentar que corresponde efetivamente a uma planície é a planície do Pantanal, caso que nem sempre é coincidente.
III - O vale do Paraíba é um maciço cristalino localizado entre as serras do Mar e da Mantiqueira, formado por uma planície encaixada no compartimento de serras do Atlântico-Leste-Sudeste.
IV - As planícies encaixadas em compartimentos de planaltos não aparecem nas últimas classificações do relevo do Brasil por uma questão de escala.

São verdadeiras as alternativas:
a) I, II e III
b) II, III e IV
c) I, II e IV
d) I, III e IV
e) Todas as alternativas.



9.No Brasil, o solo avermelhado conhecido como terra-roxa, é formado pela decomposição de:

a) gnaisse e diabásio, encontrados ao longo dos rios e várzeas inundáveis.
b) granito, encontrado em vários trechos do planalto Atlântico e no Centro do país.
c) basalto e diabásio, encontrados principalmente no planalto Meridional.
d) gnaisse e calcário, encontrados na Zona da Mata nordestina.
e) basalto, encontrado em trechos úmidos do Sertão nordestino.

10.Os solos vêm sendo submetidos aos intensivos ataques da erosão, em função do hábito generalizado de cultivar a terra em áreas de maior declive, inclusive nas encostas mais íngremes.

Veja as alternativas a seguir e escolha a que seria a melhor solução para resolver problemas como esse que foi citado.
a) O plantio em curvas de nível e a preservação das matas nas cabeceiras dos rios.
b) A aplicação de fertilizantes químicos e a prática da rotação de terras.
c) A preservação da mata nos níveis mais baixos do relevo.
d) O emprego da drenagem e da rotação de terras.
e) A prática do pousio, do sombreamento, e a preservação das matas tropicais ciliares.

11.Observe a figura. As áreas mapeadas representam importantes reservas predominantes e exploração de:
cobre
urânio
estanho
bauxita
minério de ferro

12.A Serra dos Carajás é considerada a maior província mineral do planeta, com abundância de diversos minerais. Dos minerais relacionados abaixo, apenas um deles não é encontrado lá. Qual?

a) Bauxita
b) Cobre
c) Manganês
d) Carvão mineral
e) Minério de ferro
 
13. (Ufgo) Devido à sua estrutura rochosa muito antiga, ao longo trabalho dos agentes erosivos e à ocorrência, no Brasil, de climas quentes e úmidos, o relevo brasileiro caracteriza-se pela predominância de:
a) planícies com médias altimétricas inferiores a 300 m e ausência de falhamentos
b) planaltos, com médias altimétricas inferiores a 1000 m e presença de formas arredondadas 
c) montanhas, com médias altimétricas entre 2000 m e 2500 m e formas pontiagudas
d) serras, com médias altimétricas entre 1500 m e 2000 m e formas arredondadas
e) planaltos, com médias altimétricas inferiores a 300 m e ausência de falhamentos

14. UFU - Sobre a geologia e o relevo brasileiro, podemos afirmar que, EXCETO 
a) nas grandes bacias sedimentares predominam formas de planícies e planaltos sedimentares como chapadas e cuestas.
b) o Brasil possui um embasamento constituído de formações antigas cristalinas, ricas em minerais metálicos.
c) o relevo foi intensamente desgastado pela erosão, daí a ocorrência de vários planaltos de modestas altitudes.
d) o relevo brasileiro apresenta altitudes modestas no interior, e no litoral é bastante íngreme e elevado devido à presença de dobramentos terciários.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...