LEIA ANTES DE ACESSAR O CONTEÚDO

Este blog tem como objetivo, ser um complemento para alunos do ensino médio, no que refere as Ciência Humanas.


segunda-feira, 3 de junho de 2013

ENEM: Interpretação de Gráficos - como se preparar para não passa vexame na hora da prova




 Objetivos da Aula:


Fala galera tudo bem!! Para prestar o Enem e os vestibulares, bem como entender  as noticias na imprensa, é fundamental extrair as informações  contidas em imagens. Nesta aula, demonstraremos  como fazer isso.


NOÇÕES PRELIMINARES:
 
Já é de conhecimento comum de todos que a prova do Enem é muito rica em gráficos, mapas e tabelas. O problema maior na hora de responder uma questão que envolva gráficos, mapas ou tabelas, não é o aluno não conhecer profundamente o assunto tratado no gráfico ou que este não saiba interpretar o gráfico (visto que muitos conhecem bem o assunto tratado nos gráficos e sabem interpretar gráfico). O problema está em não saber fazer a leitura adequada do que ele (vestibulando) deve extrair do gráfico  para responder a questão corretamente.

O vestibulando (aluno) tem que tomar muito cuidado em entender o que é que ele (aluno) tem que levar em consideração no gráfico para que ele consiga obter realmente desse gráfico as informações essenciais para responder corretamente o que se pede na questão sobre a leitura do gráfico. OK!

Então vamos lá!

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) observa na Matriz de Referência para Matemática e suas Tecnologias, das chamadas habilidades desejáveis de um futuro aluno dos cursos de graduação, três delas que estão relacionadas diretamente ao Tratamento da Informação:



Essas três habilidades não aparecem necessariamente separadas em situações presentes no Exame Nacional do Ensino Médio. É muito mais frequente observá-las, pelo menos duas a duas, juntas. Compreenda que as habilidades apresentadas estão contidas numa das competências (são sete competências ao todo). É a competência 6 assim especificada:
 

Não é difícil imaginar a diversidade de formas de apresentação de situações-problema a serem resolvidas: tabelas com informações sobre desmatamento; gráficos evidenciando distribuição de riquezas conforme classe; contas de consumo de energia elétrica ou de água, etc.

Vejamos agora analisar um dos modelos de gráfico (gráficos de linhas) que o Enem costuma utilizar com muita frequência nas suas provas. 

ENEM/2008
O gráfico abaixo mostra a área desmatada da Amazônia, em km2, a cada ano, no período de 1988 a 2008.

Esse gráfico é um dos mais simples!

RELEMBRANDO: o que são gráficos de linhas?

Gráficos de linha: determina pontos na quadrícula (base quadrangular= retângulo) que são unidos por uma linha. Mostra o comportamento das quantidades ao longo do tempo.
 
a) LEITURA DE GRÁFICOS
DICA:
Existem alguns pontos chaves que você deve observar na hora de fazer a análise (leitura) do gráfico:

TÍTULO: (Ler o título do gráfico) Qual é a importância disso?
Para que você faça a leitura do gráfico quanto dos enunciados já sabendo o que é importante para encontrar a resposta da questão raciocinando em cima do assunto.

VALORES EXTREMOS: (o mediano nunca  é usado) 
É bom observar sempre na análise nesse tipo de gráfico  quem que é maior e o que é menor 


Vamos analisar um gráfico de uma questão do Enem de 2008?

DICA:  
1º Passo: Faça a leitura do Título: Observe que o gráfico acima apresenta  o desmatamento da Amazônia brasileira entre o período de 1988 à 2008. Você já saber o que o título trata! OK!!

2º Passo: Faça a leitura dos Pontos Extremos: Observe que o gráfico acima apresenta  o desmatamento da Amazônia de forma linear, isto é, através de linhas e que estas são unidas por uma linha, mostrando o comportamento das quantidades ao longo do tempo (1988 à 2008).

OBSERVAÇÕES:

- Período que houve o maior índice de desmatamento: Analisando o gráfico o pontos de maior índice de desmatamento foi no período de: 95 à 94.

OBS.: Veja que ele foi maior do que o que ocorreu entre 2003 à 2004 (período que aparentemente parece ser o período em que ocorreu o maior índice de desmatamento, mas não foi!).   

Agora vejamos a questão na integra:
    ENEM/2008
O gráfico abaixo mostra a área desmatada da Amazônia, em km2, a cada ano, no período de 1988 a 2008.

As informações do gráfico indicam que

a) o maior desmatamento ocorreu em 2004.
b) a área desmatada foi menor em 1997 que em 2007.
c) a área desmatada a cada ano manteve-se constante entre 1998 e 2001.
d) a área desmatada por ano foi maior entre 1994 e 1995 que entre 1997 e 1998.
e) o total de área desmatada em 1992, 1993 e 1994 é maior que 60.000 km2.

Então agora é só fazer a leitura das alternativas verificando se realmente se ela (alternativa) se refere corretamente ao que é pedido pedido com base na leitura do gráfico

A partir da leitura das alternativas você vai perceber (com base na da leitura correta do gráfico) que a alternativa adequada, correponde a área desmatada por ano foi maior entre 1994 e 1995 que entre 1997 e 1998, portanto a alternativa correta com relação a leitura do gráfico é a letra "D" 




01. ENEM/2009 - O gráfico mostra o percentual de áreas ocupadas, segundo o tipo de propriedade rural no Brasil, no ano de 2006.
Área ocupada pelos imóveis rurais


MDA/INCRA (DIEESE, 2006)
Disponível em: http://www.sober.org.br. Acesso em: 6 ago. 2009.
De acordo com o gráfico e com referência à distribuição das áreas rurais no Brasil, conclui-se que
a) imóveis improdutivos são predominantes em relação às demais formas de ocupação da terra no âmbito nacional e na maioria das regiões.
b) o índice de 63,8% de imóveis improdutivos demonstra que grande parte do solo brasileiro é de baixa fertilidade, impróprio para a atividade agrícola.
c) o percentual de imóveis improdutivos iguala-se ao de imóveis produtivos somados aos minifúndios, o que justifica a existência de conflitos por terra.
d) a região Norte apresenta o segundo menor percentual de imóveis produtivos, possivelmente em razão da presença de densa cobertura florestal, protegida por legislação ambiental.
e) a região Centro-Oeste apresenta o menor percentual de área ocupada por minifúndios, o que inviabiliza políticas de reforma agrária nesta região.

02. ENEM/2009 - No mundo contemporâneo, as reservas energéticas tornam-se estratégicas para muitos países no cenário internacional. Os gráficos apresentados mostram os dez países com as maiores reservas de petróleo e gás natural em reservas comprovadas até janeiro de 2008.

 
            Disponível em: http://indexmundi.com. Acesso em: 12 ago. 2009 (adaptado).

As reservas venezuelanas figuram em ambas as classificações porque
a) a Venezuela já está integrada ao MERCOSUL.
b) são reservas comprovadas, mas ainda inexploradas.
c) podem ser exploradas sem causarem alterações ambientais.
d) já estão comprometidas com o setor industrial interno daquele país.
e) a Venezuela é uma grande potência energética mundial.


03. ENEM/2008 - O gráfico a seguir ilustra a evolução do consumo de eletricidade no Brasil, em GWh, em quatro setores de consumo, no período de 1975 a 2005.

A racionalização do uso da eletricidade faz parte dos programas oficiais do governo brasileiro desde 1980. No
entanto, houve um período crítico, conhecido como “apagão”, que exigiu mudanças de hábitos da população
brasileira e resultou na maior, mais rápida e significativa economia de energia. De acordo com o gráfico, conclui-se que o “apagão” ocorreu no biênio
a) 1998-1999.
b) 1999-2000.
c) 2000-2001.
d) 2001-2002.
e) 2002-2003.

05. ENEM/2008

É título adequado para a matéria jornalística em que o gráfico acima seja apresentado:

a) Apicultura: Brasil ocupa a 33ª posição no ranking mundial de produção de mel — as abelhas estão desaparecendo no país.
b) O milagre do mel: a apicultura se expande e coloca o país entre os seis primeiros no ranking mundial de produção
c) Pescadores do mel: Brasil explora regiões de mangue para produção do mel e ultrapassa a Argentina no ranking mundial
d) Sabor bem brasileiro: Brasil inunda o mercado mundial com a produção de 15 mil toneladas de mel em 2005
e) Sabor de mel: China é o gigante na produção de mel no mundo e o Brasil está em 15º lugar no ranking


06. FUVEST/2010
ESTRUTURA FUNDIÁRIA BRASILEIRA

Fonte: INCRA, 2003.
Os gráficos revelam

a) pequena quantidade de propriedades, com até 100ha, ocupando a maior parcela da área, o que significa uma distribuição desigual da terra.
b) grande quantidade de propriedades, com mais de 1000ha, correspondendo à maior parcela da área ocupada, o que significa uma distribuição equitativa da terra.
c) grande quantidade de propriedades, com até 100ha, correspondendo às menores parcelas da área ocupada, o que significa uma distribuição desigual da terra.
d) pequena quantidade de propriedades, de 100 a 1000ha, ocupando a maior parcela da área, o que significa uma distribuição equitativa da terra.
e) pequena quantidade de propriedades, com mais de 1000ha, correspondendo à menor parcela da área ocupada, o que significa uma distribuição desigual da terra.


GEOGRAFALANDO COMENTA: Os gráficos revelam a desigualdade na distribuição de terras no Brasil, marcada pela concentração fundiária. Apenas 1,6% dos estabelecimentos rurais concentra 43,8% das terras do espaço agrícola nacional, sendo que a grande maioria dos estabelecimentos (85,2%) correspondem a apenas 20% da área ocupada.


07. ENEM/2008
O diagrama abaixo representa, de forma esquemática e simplificada, a distribuição da energia proveniente do Sol sobre a atmosfera e a superfície terrestre. Na área delimitada pela linha tracejada, são destacados alguns processos envolvidos no fluxo de energia na atmosfera.
Com base no diagrama acima, conclui-se que 

a) a maior parte da radiação incidente sobre o planeta fica retida na atmosfera.
b) a quantidade de energia refletida pelo ar, pelas nuvens e pelo solo é superior à absorvida pela superfície.
c) a atmosfera absorve 70% da radiação solar incidente sobre a Terra.
d) mais da metade da radiação solar que é absorvida diretamente pelo solo é devolvida para a atmosfera.
e) a quantidade de radiação emitida para o espaço pela atmosfera é menor que a irradiada para o espaço pela
superfície.

08. UNICAMP/Simulado/2011 - Os gráficos abaixo apresentam as expectativas de vida de homens e de mulheres nascidos nos anos de 1920 a 2000 no Brasil e de 1830 a 1990, na França.

(Jacques Villain Mortalidade, sexo e gênero, em 26/04/2010)

A partir desses gráficos, podemos concluir que a diferença verificada na expectativa de vida entre os gêneros, na segunda metade do século XX,

a) foi uma característica dos países mais industrializados, como a França.
b) diminuiu quando os países se industrializaram, uma vez
que as mulheres passaram a ter mais direitos e oportunidades.
c) ocorreu apenas em países com altas taxas de criminalidade entre jovens adultos do sexo masculino, como o Brasil.
d) aumentou quando a expectativa de vida alcançou níveis mais altos.


09. FUVEST/2009
O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é um indicador do nível de desenvolvimento socioeconômico de um dado país que leva em conta, simultaneamente, diversos aspectos, tais como expectativa de vida, índice de mortalidade infantil, grau de escolaridade e poder de compra da população. A relação entre o consumo anual de energia per capita (TEP) e o IDH, em vários países, está indicada no gráfico ao lado, no qual cada ponto representa um país.


Fonte: Agência Internacional de Energia – consumo de energia
de 2003; Organização das Nações Unidas – IDH de 2005.

Com base nesse conjunto de dados, pode-se afirmar que
a) o IDH cresce linearmente com o consumo anual de energia per capita.
b) o IDH aumenta, quando se reduz o consumo anual de energia per capita.
c) a variação do IDH entre dois países é inferior a 0,2, dentre aqueles, cujo consumo anual de energia per capita
é maior que 4 TEP.
d) a obtenção de IDH superior a 0,8 requer consumo anual de energia per capita superior a 4 TEP.
e) o IDH é inferior a 0,5 para todos os países com consumo anual de energia per capita menor que 4 TEP.

 

10. FUVEST/2009

Fonte: O estado do mundo em 2007. Nosso futuro urbano
(2007 State of the world. Our Urban Future). Linda Starke
(ed.). Nova Iorque e Londres: W. W. Norton & Company,
2007, p. 69 e 70. Adaptado.
Com base nesses gráficos sobre 15 cidades, pode-se concluir que, no ano de 1995,
a) as três cidades com o menor número de habitantes, por hectare, são aquelas que mais consomem gasolina no transporte particular de passageiros.
b) nas três cidades da América do Sul, vale a regra: maior população, por hectare, acarreta maior consumo de gasolina no transporte particular de passageiros.
c) as cidades mais populosas, por hectare, são aquelas que mais consomem gasolina no transporte particular de passageiros.
d) nas três cidades da América do Norte, vale a regra: maior população, por hectare, acarreta maior consumo de gasolina no transporte particular de passageiros.
e) as três cidades da Ásia mais populosas, por hectare, estão entre as quatro com menor consumo de gasolina no transporte particular de passageiros


Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...