LEIA ANTES DE ACESSAR O CONTEÚDO

Este blog tinha como objetivo, apenas de ser um complemento para alunos do ensino médio, no que refere as Ciência Humanas AGORA também estaremos postando aulas com assuntos das Ciências Natureza (Biologia, Química e Física).


21/02/2013

1ª Série EM = 2º BIMESTRE

Aula 01 e 02 (1ª semana de aula - 15 à 12/04 de 2013)
Noções preliminares:
As teorias sobre a formação da Terra bem como do universo é um assunto que não tem tanta tradição a serem cobrados pela bancas de vestibulares do país em relação a Geografia. Mas, isso não quer dizer que esse assunto não pode ou venha ser cobrados de forma interdisciplinados em conteúdos cobrados em outras disciplinas como em Biologia, Química e Física e até mesmo em assunto da atualidade. Por isso, vale a pena, você, prestar o máximo de atenção na aula de hoje. Certo?

O que é que você precisa entender sobre esse assunto?

1º - abordagem conceitual de cada uma das teorias;
-destacando as base epistemológica de cada abordagem:
- suas ideias ou conceitos

2º - diferenciar uma da outra
- Relacionar os textos (base da aula) e escrever, em seu caderno, as semelhanças entre as diferenças entre essas concepções.
- Indicar as diferenças que cada uma delas apresentam;

Então vamos lá!!!!!

No inicio desse ano, você aprendeu que as transformações nas paisagens da Terra, isto é, no espaço geográfico vêm acontecendo desde a sua origem.

A respeito da Origem da Terra e do Universo, serão apresentadas duas teorias: uma de caráter religioso, que entendem a criação da Terra como Obra de Deus ou de outros seres superiores. E outra de carácter científico que se apoia nos achados científicos, como as descobertas de fósseis e outras evidências, para explicar a origem/evolução do planeta.

- Mas, qual a origem do Universo?
Essa é uma das perguntas mais intrigantes que alguém pode nos fazer.

- Você sabe qual é a origem de tudo que existe?
- Como surgiu o Universo, a Terra e até mesmo a origem do próprio homem?

a) A explicação religiosa sobre a origem da Terra:
Cada explicação religiosa apresenta particularidades, pois está relacionada à cultura da sociedade que a formulou. No texto a seguir, você poderá constatar isso. O texto foi retirado do Gênesis (um livro do Antigo Testamento, que compõe a Bíblia):


Click Aqui para ler o livro do Gênesis1:1-19

b) O Big Bang e a origem da Terra
Para os cientistas, toda a matéria do Universo formou-se a partir de "uma grande explosão" que ocorreu há aproximadamente 15 bilhões de anos. Essa "explosão" recebeu o nome de Big Bang.

Você consegue imaginar o que são 15 bilhões de anos? è muito tempo, sem dúvida. No entanto, esse é o tempo aproximado que muitos cientistas calculam para a idade do Universo.


A teoria do Big Bang diz que toda a matéria existente estava concentrada em um ponto, e uma forte "explosão" fez com que ela fosse fragmentada e sofresse expansão, criando o Universo que conhecemos hoje.

A formação da teoria do Big bang só foi possível graças ao acúmulo de registro e aos estudos realizados ao longo da história do ser humano.

Atualmente pode-se afirmar que todas as estrelas, a Lua e a Terra fizeram parte desse ponto inicial.

Os cientistas acreditam que os efeitos da "explosão" ainda não terminaram, pois o Universo continua em expansão. Esse fato é comprovado pelo afastamento das galáxias formadas a partir do material gerado pela "explosão".



Atividade da aula:

PRIMEIRA PARTE
Muitas teorias sobre a origem da Terra apresentam pontos em comuns, apesar de criadas por sociedades e povos distintos.

1 Releia os textos e escreva, em seu caderno, as semelhanças entre as diferentes concpções. Que diferenças elas apresentam?

SEGUNDA PARTE

DEBATE SOBRE AS DUAS TEORIAS MAIS ACEITAS PELOS ALUNOS: TEORIA EVOLUCIONISTA versus TEORIA CRIACIONISTA


Desenvolvimento da aula:

- Exibição do Video: BIG BANG





- Exibição do 2º Vídeo: Criacionismo X Evolucionismo - Contradições e Evidências Vídeo: O BIG BANG





Aula 03 e 04 (2ª senana de aula - 18 à 25/04 de 2013) 


Assunto: Origem da Terra e sua evolução geológica:
 
a) A origem do Sistema Solor e do planeta Terra:
A ciência explica a formação do Sistema solar pela Teoria da nebulosa.
Observe:

Os esquemas acima são representações artísticas, nas quais as cores e a escala não correspondem à realidade.

Um desses planetas foi a Terra, que se formou há aproximadamente 4,5 bilhões de anos.
Os cientistas acreditam que a Terra também teria se formado pelo agrupamento de inúmeros fragmentos, formando um corpo semelhante a uma esfera compacta e quente.

Segundo a Teoria da Grande Explosão ou Big Bang, no início, a Terra não possuía um formato regular como o atual. Contudo, à medida que foi atraindo maior quantidade de matéria, começou a tomar sua forma relativamente esférica.


Alguns milhões de anos se passaram. Enquanto isso a temperatura diminuía e a massa começava a se separar em camadas. A parte externa foi se solidificando, formando a crosta, muito fina no inicio, mas tornando-se mais espessa com o passar do tempo. Só depois que a temperatura da crosta diminuiu o suficiente é que começou a exestir água no estado líquido na superfície terrestre. Ou seja, o nosso planeta evoluiu com o decorrer do tempo. E gradativamente novos elementos lhe foram sendo adicionados, estes aos poucos se transformaram até chegar aos componentes que convivemos hoje como o ar, o solo, água, os quais foram essenciais para o surgimento dos seres vivos.


Uma forma de representar a estrutura interna da Terra é dividi-la em três compartimentos: Crosta, Manto e Núcleo. Nessa divisão, a crosta é a camada superficial sólida, com espessura de 35 km. Abaixo da crosta situa-se o manto, que vai até 2. 900 km de profundidade. As rochas do manto comportam-se como um fluido muito viscoso para grandes intervalos de tempo. A camada mais interior é o núcleo, fluido extremamente solido na parte mais interna da Terra. Essa e o modelo de representar a estrutura interna da dessa sob o modelo químico.
 
b) Tipos de classificação no estudo da estrutura interna da Terra.

Atualmente, representa-se a estrutura da Terra sob o ponto de vista dinâmico, isto é, físico.

Observe a figura:







Aula 05 (3ª semana de aula - 15 à 12/04 de 2013)


Assunto: Deriva Continetal: Teoria e críticas:

Fala galera! Tudo Bem!!?? Hoje vamos falar sobre um assunto bastante cobrado nos vestibulares, trata-se da Deriva Continental. Teoria desenvolvida pelo meteorologista alemã Alfred Wegener e divulgada no início do século XX, segundo a qual, há cerca de 400 milhões de anos todas as terras emersas do planeta estavam agrupadas em um único supercontinente o pangeia, cercado por um único oceano, o: PANTALASSA. Então vamos lá!!!


Veja o vídeo abaixo: Deriva Continental





Essa teoria foi formulada por Alfred Wegener (também é conhecida como teoria de Wegener). Segundo a teoria, os continentes movimentam-se não apenas no sentido vertical, mas também no sentido horizontal. Wegener admitiu que inicialmente havia apenas um único bloco continental, chamado de pangéia (pan=todo e gea=terra). A partir de então, a crosta foi fragmentada por movimentos internos, iniciando a formação de dois grandes blocos continentais: um chamado de Laurásia, que englobava a América do Norte e Eurásia e a região Ártica; o outro chamado de Gondwana, que agrupava a África, Antártica, América do Sul, Oceania e inicialmente a Índia. Posteriormente com o movimento das massas continentais a Índia chocou-se com a Ásia, e as Américas separaram-se da Europa e África, formando a configuração atual dos continentes. Essa teoria foi formulada em 1912 e não foi aceita no período por não ter forte embasamento científico. Atualmente possui respaldo.

O que argumentava Wegener favorável a sua teoria:
     - Semelhança entre fósseis de animais na Á-frica e América do Sul;
     - Presença de massas cristalinas entre os con-tinentes africano e americano;
     - Semelhante corte litorâneo, que determina a idéia de um quebra-cabeça global.
Veja a gravura abaixo.



Pangéia – a América do Norte estava ligada à Eurásia (Europa e Ásia) e a América do Sul ligada à África. A Austrália e a Antártida também estavam unidas ao mesmo conjunto, e a Índia, por sua vez, estava perfeitamente encaixada entre a África e a Austrália.

















Divisão da Pangéia – Há mais ou menos 180 a 200 milhões de anos, a partir do período jurássico, os continentes começaram a se afastar, tanto na direção oeste (América) quanto em direção à ilha do Equador. Formaram-se dois supercontinentes: a Laurásia e Gonwdana. Observe que a América do Norte afastou-se da África e da América do Sul e a Índia separou-se da Antártida, indo em direção à Ásia.














Distribuição atual dos continentes  – finalmente, nos últimos 65 milhões de anos, as Américas se juntaram, a Austrália separou-se da Antártida e a Índia “chocou-se” com a Ásia, formando a Cordilheira do Himalaia. A Groelândia afastou-se da América e os continentes ficaram separados pelos oceanos.


Mais informações clickAQUI


CONCLUSÃO:
Wegener defendia a tese da deriva, ou seja, as terras emersas teriam flutuado sobre o magma e, por meio deste movimento, ocorreram separações até chegar à configuração atual.
CRÍTICAS À TEORIA DE Wegener:
Wegener não consiguiu explicar cientificamente e detalhadamente como se deu ou se dava o deslocamento dos continentes.

EXERCÍCIOS DA AULA (Ver aqui seção de exercícioas)


Aula 06 (4ª semana de aula - )

Assunto: Teoria Tectônica de Placas

Fala galera! Tudo bém?Hoje vamos falar sobre A teoria da Tectônica de Placa. esse é um assunto bastante importante porque ele vai ajudar-nos a entender vários fenômenos fisicos que ocorrem fora e dentro da superfície terrestre. Ok.


NOÇÕES PRELIMINARES:
Com o desenvolvimento da sondagem acústica, pôde-se conhecer o fundo oceânico, desenvolvendo a partir daí um mapeamento das dorsais submarinas. Com esse estudo, foi constatado que as áreas de vulcanismo e terremotos coincidem com as dorsais submarinas e acompanham as grandes cadeias de montanhas dos continentes. Grandes falhas geológicas nessas regiões sugerem que a crosta terrestre está dividida em grandes placas, que foram denominadas de falhas tectônicas. A Crosta terrestre movimenta-se a partir de grandes placas sobre um magma pastoso, viscoso de altas pressões e temperaturas.  Constatou-se também que as idades das rochas do fundo dos oceanos aumentam à medida que se aproximam do continente.

Então vamos lá! Desacreditada a Teoria da Deriva continental foi esquecida, até que em 1967, um cientista chamado Jason Morgan desenvolveu a teoria da Tectônica de placas que ajudou a explicar e responder aos críticos de wegener o por que dos continentes se movimentarem.

Segundo a Teoria de morgan, esses movimentos são possíveis porque os continentes e os oceanos estão sobre placas que flutuam sobre uma massa flexível denominada ASTENOSFERA.

OBSERVAÇÃO:
A astenosfera é uma das camadas interna que formam a estrutura interna da Terra. Ela recebe tanta energia que impulsiona os diferentes movimentos das placas, que irão deslocar os continentes e os oceanos.
Figura 01


Segundo essa teoria, a crosta terrestre está dividida em placas de espessura média de 150 km que flutua sobre um substrato pastoso, a astenosfera.
OBSERVAÇÃO:
As 6 maiores placas tectônicas são:
- Americana,
- do Pacífico,
- Antártica,
- Indu-Australiana,
- Euro-asiática e
- Africana.

Além dessas placas existem outras placas menores como a:
- de Nacza,
- do Caribe,
- de Cocos,
- da Grécia,
- Arábica,
- Anatólia,
-Iraniana,
- Filipinas e outras.
Segundo Morgan os Limites dessas Placas estão em movimento e que estes não ocorrem da mesma forma.
Segundo a mesma teoria existem 3 tipos movimentos e que cada um desses movimentos são responsáveis pela origem de um tipo de atividade geológica específica. 
Segundo a Teoria os movimentos podem ser:
- CONVERGENTES;



- DIVERGENTES;



- TRANSFORMANTES ou TRANSFORMANTES ou ainda CONSERVANTIVOS.
 
 
ESQUEMA RESUMO SOBRE OS MOVIMENTOS DA TECTÔNICA DE PLACA

CONSEQUÊNCIAS DO MOVIMENTO DIVERGENTE:
- Afastamento de placas (contato construtivo – aumento o assoalho oceânico)
- Formação dos dorsais oceânicos (zona de agregação);
- Formação de rift valley (vale de afundamento);
- Formação de ilhas;
- Atividades sísmicas;
- Vulcanismo.
Observação Importante: Esse movimento pode ser percebido tanto no oceano quanto no continente, como é o caso no oceano: Porções centrais de placas tectônicas podem tornar-se ativas e gerar novas placas, como está acontecendo no leste africano.

CONSEQUÊNCIAS DO MOVIMENTO CONVERGENTE:

Quando existe choque de placas que podem ser:
a) PLACAS OCEÂNICA X OCEÂNICA – SUBDUCÇÃO DA CROSTA;
b) PLACAS OCEÂNICA X CONTINENTAL – SUBDUCÇÃO DA CROSTA;
c) PLACAS CONTINENTAL X CONTINENTAL – ENRUGAMENTO OU
SUBDUCÇÃO DA CROSTA.
Neste caso, o movimento é MOVIMENTO CONVERGENTE provoca:

- Colisão entre placas (contato destrutivo);
- Subducção de placas;
- Formação de ilhas;
- Atividades sísmicas (*);
- Maremotos (tsunamis).
- Formação de fossas oceânicas(ou fossa submarina que corresponde a uma depressão longa e estreita que ocorre junto à margem ativa dos continentes.)
- Formação de montanhas continentais;
- Vulcanismo (CÍRCULO DE FOGO);
(* = escala Richter – 1 a 9)

Por ultimo:
CONSEQUÊNCIAS DO MOVIMENTO TRANSFORMANTE (movimento paralelo):
- Deslizamentos naturais (contato conservativo);
- Deformação do relevo de contato;
- Formação de falhas;
- Atividades sísmicas.

Aula 07 (5ª semana de aula )
Objetivos da Aula resolução de Atividade sobre o conteúdo das aulas 05 e 06.


Atividade de Aula

Observe o mapa a baixo e com base na leitura deste responda os enunciados das questões 01 e 02 :



01 Questão
 A relação entre as margens ativas de placas tectônicas e a morfologia do relevo terrestre está corretamente expressa, EXCETO:

a) pela presença de grandes alinhamentos montanhosos.
b) pela ocorrência de arcos de ilhas.
c) pela ocorrência de superfícies de aplainamento.
d) pela presença de fossas oceânicas.

02 Questão: A partir da observação do mapa, é CORRETO afirmar em relação ao movimento das placas tectônicas:

a) Predominam movimentos divergentes, o que indica que os agentes internos, modeladores do relevo terrestre, estão pouco ativos.
b) Porções centrais de placas tectônicas podem tornar-se ativas e gerar novas placas, como está acontecendo no leste africano.
c) Placas tectônicas podem apresentar movimentos paralelos e, nesse contato, gerar cadeias montanhosas.
d) O movimento das placas se faz preferencialmente no sentido Norte-Sul e promove a reciclagem de material crustal.   
  


03 Questão (UTFPR) Verifique a figura a seguir e identifique as camadas da Terra que ela representa e, na sequência, identifique qual das alternativas traz a associação correta dessas camadas.

a) I - Núcleo interno, II - Núcleo externo, III – Manto e IV - Crosta.
b) I - Núcleo externo, II - Núcleo interno, III – Manto e IV - Crosta.
c) I - Crosta, II - Núcleo externo, III - Manto e IV - Núcleo interno.
d) I - Núcleo interno, II - Manto, III - Núcleo externo e IV - Crosta.
e) I - Crosta, II - Manto, III - Núcleo externo e IV – Núcleo Interno.

04 Questão:  Com o desenvolvimento da Teoria da Tectônica de Placas, fenômenos como a formação das cadeias montanhosas e das fossas submarinas foram melhor compreendidos. Com isso, sabe-se que a Cordilheira dos Andes se encontra em uma região da crosta terrestre que:

 (A)      apresenta uma área de colisão de placas tectônicas.
 (B)      forma margem continental do tipo passiva.
 (C)      se situa em uma área de expansão do assoalho oceânico.
 (D)      apresenta uma área falhada pela formação de uma dorsal oceânica.
 (E)      coincide com limites divergentes de placas tectônicas.

05 Questão (FATEC) A teoria da “tectônica de placas”, hoje mais do que comprovada empiricamente, explica fenômenos como vulcões, terremotos e tsunamis. Segundo essa teoria, as placas tectônicas

a) atritam entre si nas extremidades da Terra, derretendo as calotas polares.
b) movem-se porque flutuam debaixo dos solos dos oceanos, causando abalos no continente.
c) deslizam sobre o magma do interior da Terra e chocam-se em alguns pontos da crosta.
d) movimentam-se em conjunto, desenvolvendo abalos sísmicos coordenados e previsíveis.
e) encostam uma na outra e bloqueiam seu movimento natural, causando abalos nos mares.

06 Questão - UEPIA- (adaptado) Teoria da Tectônica de Placas compreende que a litosfera é segmentada por fraturas, formando um mosaico de placas que deslizam horizontalmente, arrastando os continentes por cima da astenosfera. As placas são geradas junto às dorsais oceânicas, com a formação do assoalho oceânico, e são destruídas nas fossas oceânicas, ditas zonas de subducção. A Cordilheira dos Andes é formada pela colisão de placas convergentes, ou seja, duas placas que se movem uma em direção à outra. Fossas oceânicas e margens continentais ativas são formadas nesses eixos de colisão. Assim A Teoria da Tectônica de Placas explica diversos tipos de estrutura verificados na Litosfera. Observe a ilustração a seguir 

De acordo com essa teoria, esse desenho esquemático ilustra o (a)

a) colisão de placas ocênica e continental.
b) mecanismo de subdução de placas litosféricas.
c) gênese dos arcos de ilhas e subsidência magmática.
d) formação tricheiras oceânicas.
e) expansão do assoalho submarino e a ascensão do magma.
 
07 Questão (UFLA/2007) Com base no esquema a seguir, pode-se classificar o movimento de criação da dorsal identificada como:


a) Movimento convergente.          b) Movimento tangencial.
c) Movimento transformante.       d) Movimento divergente.
e) Movimento marítimo

08 Questão - Unesp/2005-2 O processo que gerou a atual configuração dos continentes na superfície do planeta Terra resultou da fragmentação e do afastamento das terras emersas que, no princípio, constituíam um único bloco chamado Pangéia. Duas teorias tentam explicar esse processo. São elas:

a) a das placas tectônicas e a da descontinuidade de Mohorovicic.
b) a da deriva continental e a da descontinuidade de Gutemberg.
c) a das placas tangenciais e a das placas continentais.
d) a das placas tectônicas e a da deriva continental.
e) as das descontinuidades de Mohorovicic e de Gutemberg.

09 Questão (UEL) Até a segunda metade do século XIX, pensava-se que o mapa do mundo fosse praticamente uma constante. Alguns, porém, admitiam a possibilidade da existência de grandes pontes terrestres, agora submersas, para explicar as semelhanças entre as floras e faunas da América do Sul e da África. De acordo com a teoria da tectônica de placas, toda a superfície da Terra, inclusive o fundo dos vários oceanos, consiste em uma série de placas rochosas sobrepostas. Os continentes que vemos são espessamentos das placas que se erguem acima da superfície do mar. Adaptado de: DAWKINS, R. O Maior Espetáculo da Terra. São Paulo: Companhia das Letras, 2009. p.257-258.

Com base nas informações contidas no texto, nos mapas e nos conhecimentos sobre placas tectônicas, considere as afirmativas a seguir.

Figura 1: Mapa de Placas Tectônicas. (SIMIELI, Maria Helena. Geoatlas. São Paulo: Ática, 2000.)



 

Figura 2: Mapa de Zonas Sísmicas e Vulcões. (SIMIELI, Maria Helena. Geoatlas. São Paulo: Ática, 2000.)

I. As placas tectônicas que dividem as Américas da Europa e da África são divergentes, comprovando a teoria de Wegener, segundo a qual os continentes estão se afastando.
II. As áreas de subducção são locais de encontro de placas tectônicas, resultando em formação de cadeias de montanhas, como os Andes e o Himalaia.
III. As áreas propensas a tsunamis, como Tailândia e Japão, coincidem com as faixas de incidência de choques entre placas tectônicas.
IV. O Brasil não sofre a influência de tsunamis apesar de possuir um vasto litoral e de localizar-se em uma área de instabilidade tectônica.

Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
b) Somente as afirmativas II e III são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.

10 Questão - Com o desenvolvimento da Teoria das Placas Tectônicas, nos anos 60 e 70, fenômenos como o vulcanismo, os terremotos e a formação de cadeias montanhosas vêm tendo uma compreensão mais aprofundada. Isto permite, inclusive, a previsão de eventos de alta intensidade destrutiva, conforme a possibilidade de que a Califórnia, nos próximos anos, venha a sofrer um grande terremoto, já que, nessa região, a crosta terrestre:

a) apresenta uma zona de encontro de placas tectônicas com expansão do assoalho oceânico.
b) se encontra profundamente fraturada pela formação de uma dorsal oceânica.
c) está sendo empurrada para baixo formando uma fossa abissal.
d) forma uma área de separação de placa com forte epirogênese.
e) se divide em duas placas que deslizam paralelamente em sentidos contrários.

11 Questão As massas continentais que conhecemos não são fixas, mas se separam, se chocam, abrem fendas a levantam montanhas. Com base na teoria da Deriva dos Continentes, aperfeiçoada pela teoria da Tectônica de Placas, é possível admitir que

a) o material magmático que sobe para a crosta terrestre vem impedindo que o "Chifre da África" se separe do restante do continente africano.
b) os continentes, massas flutuantes sobre um mar de magma, tendem a se agrupar em um único megabloco, denominado Pangéia.
c) o "anel de fogo" do Pacífico sofrerá os efeitos do terremoto Big One, exceto a Califórnia situada na borda da placa Norte-Americana, onde a energia acumulada é menor.
d) a África e a América do Sul estão se distanciando, com o alargamento do Oceano Atlântico a o deslocamento da placa Sul-Americana em direção à de Nazca.
e) o surgimento dos Apalaches e das fossas do Pacífico resultou do choque entre as placas Americana a Asiática no período terciário da era atual.

12 Questão (Ufba) – Adaptada – Observe a figura a seguir. Sobre o tema esquematicamente representado, é correto afirmar que:

I – se trata de uma representação da estrutura geológica comumente designada como “fossas tectônicas”.
II –  esse tipo de estrutura geológica ocorre especialmente em áreas da crosta onde acontecem colisões de placas litosféricas. 
III – essa estrutura geológica inexiste no Brasil, uma vez que esse país se situa numa margem passiva da placa sul-americana.
IV –  essa estrutura geológica ocorre quando os esforços tectônicos atuantes na crosta terrestre são de distensão. Estão corretas:

a) apenas I, II e IV
b) apenas II e IV
c) I e IV
d) todas estão corretas
13 Questão - O bloco diagrama representa o processo de formação de um fenômeno natural de grande magnitude, decorrente da movimentação de placas tectônicas.



 

 
Assinale a alternativa sobre o local e as condições de movimentação das placas tectônicas e o consequente fenômeno natural.

a) No fundo do oceano, com terremoto em profundidade, sem deslocamento do solo e propagação de ondas gigantes; tsunami.
b) Em superfície, sem deslocamento do solo oceânico e propagação de ondas gigantes; maremoto.
c) No fundo do oceano, com deslocamento do solo sem propagação de ondas; terremoto.
d) No fundo do oceano, com terremoto em profundidade, deslocamento do solo e propagação de ondas gigantes; tsunami.
e) Em superfície, com terremoto em profundidade, deslocamento do solo oceânico e propagação de ondas; maremoto.

14 Questão - Com relação à constituição interna da Terra, suas camadas e características gerais, é correto dizer-se que

a) a tectônica é responsável por fenômenos como formação de cadeias montanhosas, deriva dos continentes, expansão do assoalho oceânico, erupções vulcânicas e terremotos.
b) o núcleo interno, constituído, principalmente, de ferro e níquel, encontra-se em estado líquido devido às altas temperaturas ali reinantes.
c) o núcleo externo encontra-se em estado sólido e apresenta uma constituição rochosa. Nele, são geradas correntes elétricas que imantam o núcleo interno e criam o campo magnético da Terra.
d) a astenosfera, porção do núcleo terrestre dotada de plasticidade, é a sede das correntes de convecção que movimentam as placas litosféricas.
E) as placas continentais e as oceânicas possuem semelhante composição mineralógica básica, uma vez que essas placas compõem a crosta terrestre.

15 Questão - Sobre a deriva continental e a tectônica de placas, assinale o que for correto.

01) Há cerca de 250 a 300 milhões de anos, existia uma única grande massa continental, denominada Pangeia, cercada por um único oceano, chamado
Pantalassa. A partir da fragmentação da Pangeia, deu-se origem à configuração atual dos continentes.
02) A isostasia é o estado de equilíbrio dos blocos continentais que flutuam sobre o manto. Os blocos mais espessos, portanto, mais pesados, encontram-se profundamente mergulhados no substrato magmático, enquanto os blocos mais finos e leves encontram-se pouco mergulhados no magma.
04) A litosfera compreende as rochas da crosta, formada por placas rígidas e móveis, conhecidas como placas tectônicas. A mobilidade dessas placas se dá devido à existência de uma camada logo abaixo da litosfera, chamada de astenosfera, constituída por rochas parcialmente fundidas e menos rígidas.
08) A cordilheira dos Andes é formada a partir do contato entre duas placas tectônicas divergentes: a Placa Sul- Americana e a Placa do Pacífico. Nesse caso, as placas deslizam lateralmente entre si, não ocorrendo destruição nem formação da crosta, tratando-se, assim, de placas conservativas, embora provoquem falhas e terremotos.
16) A Dorsal Meso-Atlântica é formada pelo contato entre a Placa Sul-Americana e a Placa de Nazca. A Placa Sul-Americana, por ser menos densa, mergulha sob a Placa de Nazca, formando uma subducção no assoalho marinho, que causa o estreitamento do fundo do Oceano Atlântico.

RESPOSTA: Total__________________

16 Questão - Cientistas da Universidade de Oxford, Inglaterra, detectaram que as placas tectônicas que formam a África e a Arábia encontram-se em movimento. Imagens de satélite detectaram o aparecimento de uma fratura recente na crosta terrestre, no deserto de Afar (perto do Mar Vermelho). Por monitoramento, observaram que, em apenas três semanas, a fenda atingiu 8 metros de profundidade ao longo dos 60 quilômetros de extensão, tendo preenchimento de magma.
ASSINALE a alternativa que apresenta o nome desse processo.
a)      Colisão entre placas tectônicas.
b)      Zona de Subducção entre placas tectônicas
c)      Divergência de placas tectônicas
d)     Transcorrência entre placas tectônicas.

17 Questão -  "Tudo virou um inferno, como se a II Guerra Mundial estivesse acontecendo novamente: 4.500 mortos, 23.760 feridos e 270 mil desabrigados."  ("ISTO É", 25-01-95).

Com base na figura a seguir, é correta a explicação para o acontecimento que atingiu a cidade de Kobe, no Japão:


a) Em uma falha geológica, houve deslocamento e posterior encontro de placas tectônicas - no caso, a placa Euroasiática com a placa das Filipinas.
b) Houve um processo de orogênese, isto é, movimento horizontal e prolongado que, atuando sobre as camadas de rochas sedimentares, provoca o dobramento dessas camadas.
c) Houve um processo de pirogênese, ou seja, movimento vertical leve e prolongado, capaz de provocar elevações e abaixamentos de grandes extensões continentais.
d) Houve um desmoronamento das rochas no interior da Terra, provocando acomodações das camadas de sedimentos devido ao seu próprio peso.
e) Ocorreu um rompimento da crosta terrestre pela ação de forte pressão causada pelo magma que, através da falha ou fratura, subiu até a superfície.

18 Questão - Observe a figura e analise as proposições:
 
 
 (   ) A distribuição geográfica dos vulcões coincide com as áreas orogenéticas muito antigas.
 (  ) É muito comum a ocorrência do fenômeno vulcânico no interior dos continentes.
( ) Atualmente, não existem vulcões ativos no Brasil. Entretanto, em épocas geológicas passadas, o Brasil foi palco de diversas atividades vulcânicas.
( ) O círculo do fogo do Pacífico forma um alinhamento vulcânico que vai desde a Cordilheira dos Andes até as Filipinas, passando pela costa Ocidental da América do Norte e pelo Japão.
(   ) As principais áreas vulcânicas modernas ocorrem ao longo das costas oceânicas.
A opção correta é:
a) FFVVV                           b) FVVFF                               c) FVFFV                               d) VVFFF
19 Questão
 Analise o mapa a seguir:
A distribuição espacial dos terremotos apresentada no mapa coincide com

a) áreas de expansão do assoalho oceânico.
b) dorsais oceânicas.
c) limites divergentes de placas tectônicas.
d) margens continentais passivas.
e) zonas de colisão de placas tectônicas.

20 Questão - Sobre os enunciados que se seguem é correto afirmar, EXCETO:

a) A Dorsal Atlântica foi formada pelo resultado do deslocamento divergente entre as Sul-Americana e Africana.
b) A Cordilheira dos Andes foi formada pelo resultado de colisão entre as Placas Sul-Americana e Nazca.
c) Entre as Placas do Pacífico e a Nazca, verifica-se um movimento predominantemente tangencial.
d) Das zonas de agregação podem subir materiais do manto para a crosta.
e) Na zona de subducção, podem ocorrer tremores e atividades vulcânicas.

21 Questão - Considere as informações a seguir sobre a tectônica de placas:
I - A crosta terrestre é formada por várias placas litosféricas, que se movem umas em relação às outras, sendo carreadas por lentas correntes de convecção existentes na astenosfera.
II - O Japão, localizado na Placa Eurasiana, desenvolve avançadas tecnologias em construção civil, já que sua borda oriental é uma das regiões de maior incidência de terremotos, tsunamis e vulcões.
III - Os limites de contato entre as placas tectônicas são de três tipos: convergentes, divergentes e transformantes.
IV - A fossa mesoceânica constitui uma fratura que se estende paralelamente às cristas mesoceânicas, enquanto a fossa submarina é um depressão longa e estreita que ocorre junto à margem ativa dos continentes.

Assinale a opção que contém as afirmativas corretas.

a) Apenas I, II e III.
b) Apenas I, II e IV.
c) Apenas I, III e IV.
d) Apenas II, III e IV.
e) I, II, III e IV.

22 Questão  (PUC – MG)  A teoria da Tectônica de Placas explica como a dinâmica interna da Terra é responsável pela estrutura da litosfera, sendo INCORRETO afirmar:

a) A litosfera é a parte rígida que compõe a crosta terrestre; é segmentada em placas que flutuam em várias direções sobre o manto.
b) O movimento das placas pode ser convergente ou divergente, aproximando-as ou afastando-as, ou ainda deslizando-as uma em relação à outra.
c) A tectônica é responsável por fenômenos como formação de cadeias montanhosas, deriva dos continentes, expansão do assoalho oceânico, erupções vulcânicas e terremotos.
d) As placas continentais e oceânicas possuem semelhante composição mineralógica básica, uma vez que essas placas compõem a crosta terrestre.

23 Questão: (FATEC)  O 'tsunami' que matou, em dezembro de 2004, muitos milhares de habitantes de países banhados pelo Oceano Índico já estava quase esquecido quando, em final de maio de 2006, um forte tremor de terras na ilha de Java (Indonésia) fez novas vítimas, que chegam a cerca de 5 mil mortos. Os dois fenômenos, tsunamis e terremotos,

a) estão relacionados às estruturas geológicas cristalinas, predominantes na região.
b) representam ocorrência comum nas regiões situadas no centro de uma placa tectônica.
c) resultam dos desequilíbrios geotérmicos que ocorrem no núcleo, parte central da Terra.
d) demonstram que os epicentros, locais de formação dos tremores, estão concentrados no hemisfério Sul.
e) têm origens semelhantes, pois ocorrem devido à movimentação das placas tectônicas.

24 Questão: (FACID) Terremotos são gerados pelos movimentos naturais das placas tectônicas da Terra, que causam ajustes na crosta terrestre, afetando a organização das sociedades, como ilustra a figura abaixo. Em relação aos sismos naturais, é correto afirmar que eles são causados por:



Fonte: camerataallegro.com.br. Acesso em 22/10/2011

a) forças endógenas incontroláveis.
b) energias exógenas excepcionais.
c) forças antrópicas descontroladas.
d) energias antrópicas excepcionais.
e) forças endógenas e antrópicas.

25 Questão: Segundo a Teoria da Deriva Continental, os continentes se separaram a partir de um bloco único denominado Pangéia. Quais são os dois continentes cujo perfil do litoral apresenta um encaixe perfeito, embasando essa teoria?

a) Antártica e Europa
b) Europa e Oceania
c) Oceania e América do Norte
d) América do Sul e África
e) África e América do Norte

Aula 08 (5ª semana de aula - 15 à 12/04 de 2013)

DINÂMICA INTERNA DA TERRA: Extrutura interna daTerra


Fala galera!! Tudo Bem!?? Hoje vamos estudar um assunto bastante cobrado nos vestibulares, que é a Estrutura da Terra.

Uma forma de representar a estrutura interna da Terra é dividi-la em três compartimentos conforme mostrado na figura acima: 
- Crosta
- Manto 
- Núcleo. 
Veja a gravura abaixo:

Nessa divisão, a crosta é a camada superficial sólida, com espessura de 35 km. Abaixo da crosta situa-se o manto, que vai até 2. 900 km de profundidade. As rochas do manto comportam-se como um fluido muito viscoso para grandes intervalos de tempo. A camada mais interior é o núcleo, fluido extremamente solido na parte mais interna da Terra. Essa e o modelo de representar a estrutura interna da Terra sob o modelo químico "geoquímico".

Atualmente, representa-se a estrutura da Terra sob o ponto de vista dinâmico, isto é, físico . Vamos agora conhecer algumas diferenças existentes nesses dois modelos. Observe a gravura abaixo:   .

 
Nessa nossa aula vamos aprofundar os nossos conhecimentos da estrutura interna da Terra segundo o modelo da estrutura dinâmica, isto é segundo as características físicas dos materiais. Veja isso melhor na figura abaixo

 
Vamos agora estudar mais detalhado cada um desses modelos:
a) Modelo Dinâmico)
a.1) LITOSFERA (Crosta + manto superior = 70 a 100 km de espessura). Ela é formada de placas rígidas e móveis, que chamamos de Placas Tectônicas.
   - CROSTA: DIVIDE-SE Continental e Oceânica
           a.1.1) CROSTA CONTINENTAL - Essa pode ainda ser dividida em: em superior  e inferior.
                     OBS.: A diferença de uma para a outra está na espessura. Veja:
                    a.1.1.1) Crosta Continental Superior: vai de 15 a 25 km espessura e que é conhecida também por SIAL devido os minerais ou os elementos químicos mais comuns encontrados nessa espessura da crosta serem o Silício + Alumínio
                     a.1.1.2) Crosta Continental Inferior: 30 a 35 km espessura e que é conhecida também por SIMA devido os minerais ou os elementos químicos mais comuns encontrados nessa espessura da crosta serem o Silício e Magnésio.
           a.1.2) CROSTA OCEÂNICA
                     a.1.2.1) - camada basáltica de 1a 4 km esp. 
                     a.1.2.2) - camada oceânica de 5 a 6 km esp

IMPORTANTE:
Nas regiões montanhosas a crosta pode alcançar 65 km de espessura. A Crosta Continental flutua acima de material muito denso do manto, à semelhança dos icebergs sobre os oceanos. Esse é o Princípio da Isostasia que assegura que as “ leves “ áreas continentais flutuem sobre um Manto de material mais denso.
OBSERVAÇÃO
A descrição acima tratar-se do princípio da ISOSTASIA que assegura que as "leves" áreas continentais flutuem sobre um MANTO de material mais denso.
 Veja a gravura:
 
a.2) ASTENOSFERA que corresponde a um material em = ou - em estado de fusão em que as Placas Tectônicas deslizam.
MESOSFERA = MANTO SUPERIOR = MANTO INFERIOR
ENDOSFERA= NÚCLEOEXTERNO = NÚCLEO INTERNO

VEJAMOS MELHOR:

Exercícios de Aula
01.   (UEPG-ADAP.) Com relação à constituição interna da Terra, suas camadas e características gerais, assinale o que for correto.
01)  A crosta sólida ou litosfera é a fina camada superficial.
02)  O núcleo interno, constituído principalmente de ferro e níquel, encontra-se em estado sólido devido às altas pressões ali reinantes.
04)  A camada sólida e externa da Terra é chamada de litosfera ou crosta terrestre. Subdivide-se em Sial e Sima.
08) A astenosfera, porção do manto dotada de plasticidade, é a sede das correntes de convecção que movimentam as placas litosféricas.
Soma:______________



 
Aula 08 (5ª semana de aula - 15 à 12/04 de 2013)

assunto: A DINÂMICA DA CROSTA TERRESTRE: Minerais e rochas (Recursos minerais))


 1- Minerais e rochas
A crosta terrestre é constituída por muitos tipos diferentes de rochas e minerais. oxigênio, silício, alumínio, ferro, magnésio, cálcio, potássio e sódio são alguns dos principais componentes encontrados na litosfera. Os diferentes arranjos cristalinos e combinações químicas destes elementos produzem a diversidade de rochas e minerais. Existe um processo constante de transformação. A Terra tem 4,5 bilhões de anos, mas as rochas mais antigas apenas 3,9 bilhões de anos, pois as anteriores foram recicladas em novas rochas.
Os minerais podem ser entendidos como: “um elemento ou composto químico resultante, em geral, de processos inorgânicos, de composição química definida e, encontrado naturalmente na crosta terrestre”.
As rochas são o material que compõe a porção sólida da superfície terrestre, constituídas pela agregação de um ou mais minerais. São classificadas em ígneas, sedimentares e metamórficas, de acordo com o processo de formação.
a)   ROCHAS ÍGNEAS OU MAGMÁTICAS: São rochas que resultam do resfriamento de materiais primitivos no estado de fusão, ou seja, do magma.
Dependendo do local e das condições onde sofrem o resfriamento se subdividem em:
•  Intrusivas, plutônicas ou abissais- quando o resfriamento ocorre em camadas inferiores da crosta terrestre, resfriando lentamente e favorecendo o crescimento de cristais.
Podem originar grandes formações rochosas como: dioritos, granitos, sienitos, etc.
•  Extrusivas, efusivas ou vulcânicas- o resfriamento é rápido pois ocorre na
superfície terrestre, formando os edifícios vulcânicos ou estendendo-se por grandes áreas (derrames). Apresentam cristais pequenos, exemplificada pelo basalto, riolito, etc.
b)   ROCHAS SEDIMENTARES: São rochas resultantes da desintegração da crosta terrestre, sendo formadas por partículas de outros materiais, que sofrem a ação das águas, dos ventos e das variações de temperatura, agregando-se ou não aos restos de seres vivos. Acumulam em depósitos, formando as camadas sedimentares.
São subdivididas em:
•  Detríticas ou Clásticas - resultantes de sedimentos de outras rochas. Ex.: arenito, cascalho, argilito, etc.
•  Orgânicas - quando se compõem, sobretudo de restos de seres vivos, como o calcário, turfa, hulha, etc.
•  Químicas - quando se originaram de reações químicas, tais como o sal gema, a dolomita, as estalactites e os salitres.
c)   ROCHAS METAMÓRFICAS: As elevadas temperaturas e pressões a que são submetidas às rochas provocam alterações em sua estrutura, dando origem às rochas metamórficas. Assim, o arenito pode dar origem ao quartzito; o calcário ao mármore e o granito ao gnaisse.

2- Os recursos minerais
A sociedade de modo geral necessita muito dos bens minerais. Os bens minerais têm uma importância tão significativa que uma das formas de se dividir as fases de evolução da humanidade é em função dos tipos de minerais utilizados como: idades da pedra, do bronze, do ferro, etc.
Os minerais estão diretamente relacionados ao dia-dia da população, seja quanto as necessidades básicas do ser humano - alimentação, moradia e vestuário, ou para o desenvolvimento – máquinas, fontes de energia, entre outros.
Os minerais são extraídos da natureza, mais precisamente do subsolo. Após essa etapa, que recebe o nome de extrativismo mineral, os minérios seguem para as siderúrgicas onde são forjados ou beneficiados, para então serem transformados em bens de consumo, como carros, motos, jóias, eletrodomésticos e muitos outros, além de serem úteis na construção civil.
Os recursos minerais possuem composições físicas e químicas distintas, fato que os classifica em:
  Metálicos: Como ferro, alumínio, manganês, magnésio, cobre, mercúrio, chumbo, estanho, ouro, prata e urânio, que detêm em sua composição física e química elementos de metal, o que favorece a condução de eletricidade.
  Não-metálicos: Como cloreto de sódio, enxofre, fosfatos, nitratos, areia, argila, cascalho, amianto, água, petróleo e carvão mineral. Minerais desprovidos em sua composição física e química de elemento metálico.
De modo popular entre os minerais, existem aqueles de origem orgânica, como os minérios fósseis que possuem boa capacidade de combustão: gás natural, carvão mineral e o petróleo. Na verdade não são minerais e sim mineralóides, uma vez que é formado por processo orgânico.
Os recursos minerais servem de apoio para o desenvolvimento de um país. Os minérios não estão distribuídos de forma igual na superfície terrestre.
Países como o Japão, a Itália e os Tigres Asiáticos são paupérrimos desses recursos, enquanto nações como a África do Sul, Austrália, Brasil, o Canadá e os Estados Unidos foram muito beneficiados pelo acaso.
Fonte: IBGE, 1999; e Almananque Abril, 2002
A concentração da produção é particularmente elevada em alguns minerais: por exemplo, os cinco principais produtores de ferro reúnem 72% da produção mundial; o mesmo acontece com o ouro (70%), o níquel (70%) e a prata (65%). Os percentuais diminuem para o cobre (59%), o zinco (58%) e o chumbo (50%).
Mas deve-se levar em consideração que nem sempre, o país detentor do minério é o que mais se beneficia com seu uso econômico. Exemplificando esse caso, alguns países desprovidos de capital, tecnologia e indústrias de base, acabam por simplesmente fornecer matéria-prima aos países desenvolvidos que, a partir de então, buscam controlar essas reservas.
Os países subdesenvolvidos são detentores de uma grande quantidade das jazidas mundiais de minério. No entanto, esses produtos são adquiridos e controlados quase que em sua totalidade por companhias multinacionais e consumidos em países desenvolvidos. Desse modo, é fácil afirmar que os recursos minerais são causa de conflitos permanentes em países miseráveis, como em Serra Leoa, na África negra, que tem no diamante a razão de sua guerrilha longínqua.
Entre os minérios de grande importância para o mundo atual, podem ser citados:
 

Atividade da Aula

01 - (FURG) Em 02/01/2008, entrou em erupção o vulcão Llaima, um dos mais ativos entre os 60 vulcões do sul do Chile, abalando a área com explosões, expelindo lavas e uma coluna de gás e cinzas de 7 km. Sobre esse fenômeno geológico é correto afirmar que:

a) a margem oriental da América do Sul localiza-se numa borda de placa tectônica, o que a torna susceptível a esse tipo de fenômeno.
b) a margem oriental da América do Sul é tectonicamente ativa, o que resultou na formação do chamado “cinturão do fogo”, onde existem inúmeros vulcões em atividade.
c) na América do Sul, apenas o Chile apresenta vulcões em atividade, os processos exógenos são intensos nessa área.
d) a margem ocidental da América do Sul é tectonicamente ativa, manifestando com frequência abalos sísmicos e atividade vulcânica ao longo de sua extensão.
e) a atividade vulcânica manifesta-se em terrenos antigos e estáveis como a margem ocidental da América do Sul.

02 - (UFJF) Leia o fragmento de texto a seguir:

Tais mudanças nas partes superficiais do globo pareciam, para mim, improváveis de acontecer se a Terra fosse sólida até o centro. Desse modo, imaginei que as partes internas poderiam ser um fluido mais denso e de densidade específica maior que qualquer outro sólido que conhecemos, que assim poderia nadar no ou sobre aquele fluido. Desse modo, a superfície da Terra seria uma casca capaz de ser quebrada e desordenada pelos movimentos violentos do fluido sobre o qual repousa.

 Benjamin Franklin, 1782, em uma carta para o geólogo francês Abbé J. L. Giraud-Soulavie in PRESS, frank et al. Para entender a Terra. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

Sobre a estrutura interna da Terra, pode-se AFIRMAR que:
a) a crosta é uma camada única constituída de uma placa tectônica, dividida em duas seções.
b) a litosfera é a camada mais densa e se mantém em movimento devido às correntes convectivas.
c) as camadas da Terra são separadas umas das outras por áreas denominadas descontinuidade.
d) ela é formada por camadas alternadas, de densidades semelhantes, que diminuem da superfície para o centro. e) o núcleo divide-se em duas partes: superior e inferior e seu material é o magma.

03 - (CEFET) As terras emersas são constituídas, basicamente, por escudos cristalinos, bacias sedimentares e dobramentos modernos. Sobre bacias sedimentares, analise as seguintes afirmativas.

I. Resultaram da solidificação do material magmático e de sua elevação à superfície.
II. Podem sofrer soerguimentos tectônicos, constituindo baixos planaltos ou platôs.
III. As mais antigas foram consolidadas ao longo das eras Paleozóica e Mesozóica.
IV. São constituídas por rochas metamórficas muito antigas, como os gnaisses.

As afirmações corretas são

a) apenas I e II
b) I e III
c) II e III
d) III e IV
e) I, II e IV

 

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...