LEIA ANTES DE ACESSAR O CONTEÚDO

Este blog tem como objetivo, ser um complemento para alunos do ensino médio, no que refere as Ciência Humanas.


10/07/2011

Aula MASSA de AR

Para compreender melhor o estudo dos climas do Brasil é fundamental observar primeiro a caracterização e a dinâmica das massas de ar que atuam em nosso território, pois são estas porções da atmosfera com características próprias de temperatura, umidade e pressão é que determinam ou modificam os tipos climáticos existentes em nosso país.

As Massas de Ar

O ar que compõe a atmosfera está em constante movimento principalmente em função das diferenças de pressão e do movimento de rotação da Terra. Apesar de ocorrerem variações nos valores da pressão numa mesma região, sobretudo em razão das mudanças de estações no ano, podem ser delimitadas, em geram, algumas áreas com predominância de altas pressões, o que, por sua vez, vai determinar a circulação geral da atmosfera.
É no interior dessa circulação geral que se estabelece a dinâmica das massas de ar, grandes responsáveis pela determinação dos diferentes tipos climáticos.

Dessa forma, a caracterização e mesmo a compreensão do tipo climático de um local têm como elemento principal a atuação das massas de ar.

A massa de ar é uma grande porção da atmosfera, com milhares de quilômetros quadrados de extensa. Ela se forma quando um grande volume de ar permanece em repouso ou se move lentamente sobre superfícies continentais ou oceânicas. O local em que a massa de ar se forma recebe o nome de região de origem. É na região de origem que a massa de ar adquire as características de temperatura, pressão e umidade, que serão o praticamente as mesmas em toda a sua extensão.

Assim, uma massa de ar que se forma sobre uma superfície gelada como, por exemplo, a Antártida adquirirá, em toda a sua extensão, características típicas dessa região: temperatura baixa, alta pressão e pouca umidade. Por isso, o estado do tempo em toda a área abrangida pela massa de ar é praticamente o mesmo, só ocorrendo modificações onde existem montanhas, vales ou grandes extensões de água (lagos, por exemplo)e nas zonas de contato entre duas massas de ar.

À medida que as massas de ar se deslocam, verificam-se alterações do estado do tempo nas regiões afetadas pelas massas.

Ao se deslocarem, as massas de ar vão, aos pouco, perdendo as suas características de temperatura, pressão e umidade. Portanto, em altas latitudes, vai se aquecendo e perdendo a sua umidade à medida que se dirige pra latitudes mais baixas (áreas mais quentes)  As áreas de alta pressa são denominadas anticiclonais; as de baixa pressão, ciclonais. Nas baixas pressões equatoriais, as elevadas temperaturas provocam intensa evaporação e, em consequências, chuvas. Nas áreas de ata ressoa subtropicais, o ar descendente é seco, daí a existência de desertos nessas áreas, como o do Saara, no norte da África; o da Arábia, na península Arábica; e o de Gibson, na Austrália. Os dois primeiros estão na linha do trópico de Câncer e o último, na linha do trópico de Capricórnio. 

Observe a gravura abaixo.





Classificação das Massas de Ar

As massas de ar que se formam sobre os continentes são secas, com exceção das formadas sobre áreas de densas florestas tropicais, onde a evapotranspiração é intensa. As massas que se formam sobre os oceanos, por sua vez, são úmidas. No entanto, as massas de ar originadas em áreas secas, ao passarem pelo oceano em lento deslocamento, tornam-se úmidas assim, considerando o local de origem e o tipo de superfície (continente ou oceano) sobre o qual as massas de ar se formam, é possível classificá-las da seguinte maneira.


Ao se deslocarem, as massas de ar se encontram. Nesse contato, porém, elas não se misturam: uma exerce pressão sobre a outra, de tal forma que a que avança com mais intensidade faz com que a outra retroceda e acabe incorporando as suas características.

A zona de conato entre duas massas de ar diferentes recebe o nome de frente ou superfície frontal.



Quando a massa de ar frio avança, fazendo o ar quente recuar; trata-se de uma frente fria. Como a massas de ar frio é mais densa, ela tende a permanecer próximo à superfície. Com isso, o ar quente, menos denso, acaba sendo impulsionada para o alto provocando a formação de nuvens.

Observe a gravura abaixo

 

















A passagem da frente fria provoca queda de temperatura, pois o ar aquecido é deslocado, e em seu lugar, fica o ar mais frio. Quanto às chuvas, as frentes frias rápidas provocam precipitações do tipo pancadas, enquanto as frentes frias lentas provocam precipitação de caráter contínuo. Nos mapas meteorológicos, as frentes frias são representadas por uma linha preta com pequeno “picos”  
               


Outro tipo de frente é a frente quente, que ocorre quando o ar quente avança sobre o ar frio. Esse ar mais frio recua à baixa latitude, pois é mais denso, enquanto o ar quente, menos denso, eleva-se sobre uma espécie de “rampa” deixada pelo ar frio.
A área de frente quente e mais extensa, e sua passagem, além de provocar aumento de temperatura, ocasiona intensa nebulosidade. Nos mapas meteorológicos, as frentes quentes são  representadas por uma linha preta com semicírculos


Atividade Prática


Massas de ar: O clima brasileiro é influenciado por cinco massas de ar:
Observação: Para lembrar os nomes das massas de ar e suas características: faça como no esquema abaixo.
1º Passo: – Trace uma linha no Equador, uma no Trópico de Capricórnio e uma na região polar,
2º Passo: – trace uma linha (perpendicular) no continente e outra  no oceano Atlântico.
3º Passo: – feito isso é só atribuir o nome e as características:
Observações:
- Sobre a Linha do Equador: temos - massas Equatoriais– Principal característica: quentes
- Sobre o Trópico de Capricórnio: temos - massas Tropicais – Principal característica: quentes
- Sobre a Região polar: temos -massa Polar– Principal característica: fria
- Sobre o Oceano Atlântico temos– massas atlânticas – Principal característica: úmidas
- Sobre o Continente temos– massas continentais – Principal característica: secas (exceto a Equatorial continental)



Não esquecer:

•mEc– Massa Equatorial Continental – quente e úmida (devido à floresta e hidrografia amazônica)
•mEa– Massa Equatorial Atlântica – quente e úmida
•mTc–Massa Tropical Continental – quente e seca
•mTa– Massa Tropical Atlântica – quente e úmida
•mPa– Massa Polar Atlântica – fria e úmida

Lembre-se: “friagem” é um fenômeno de resfriamento de curto período que ocorre na região norte do país quando a massa polar atlântica atinge essa região.

-->
AS MASSAS DE AR

Em função dessas condições gerais, grandes ‘porções’ de ar, ou MASSAS DE AR, se deslocam sobre a superfície, obedecendo certos ritmos e frequências previsíveis.


As “porções” de atmosfera se movimentam sobre a superfície, por várias centenas emilhares de quilômetros, e são chamadas de MASSAS DE AR. Elas são responsáveis pelascaracterísticas dos diferentes tipos de tempo e responsáveis pelos diferentes tipos de climas de cada pedaço da superfície, e estão constantemente se modificando, à medida querealizam trocas de calor e umidade entre si.

Como regra geral as massas de ar têm origem em determinadas áreas do planeta e suas características dependem das condições da área de contato/deslocamento, além disso, elas percorrem “rotas” mais ou menos definidas. Sua passagem irá, assim, marcar fortemente as condições de temperatura, umidade e ventos das áreas afetadas.

Por isso, distinguimos três grandesfamílias” de massas de ar:

Polares – que, como o nome indica, formam-se nas áreas polares, ou em suas proximidades, onde predominam altas pressões. São frias e secas e se deslocam em direção àsáreas equatoriais, mais quentes e de baixa pressão. Ao longo do “trajeto” suas características iniciais de temperatura e umidade são modificadas pelos fatores climáticos. Embora atue principalmente nos meses de inverno, elas podem ocorrer em qualquer época do ano,provocando bruscas quedas de temperatura (ondas de frio).

Tropicais – podem ser formadas em áreas de alta pressão (sobre os oceanos) ou de baixapressão (no interior dos continentes). São quentes e podem ser secas ou úmidas. Comofuncionam como grandes “ventiladores” elas redistribuem o ar efetuando “trocas” entre o ar frio,originado nos polos, e o ar quente vindo das áreas equatoriais. Às massas de ar tropical estãoligados ventos constantes – os alísios. Suas condições originais de temperatura e umidadetambém sofrem modificações em função dos fatores climáticos (p/ex. são mais úmidas junto aoslitorais e mais secas no interior; são mais quentes nas áreas de baixa altitude e mais frias nasáreas mais elevadas...)

Equatoriais – formam a terceira “grande família” das massas de ar. Na verdade, a áreaequatorial se caracteriza como o “ponto de encontro” das massas de ar que atuam na superfície.Daí ser considerada como a área da CONVERGÊNCIA INTERTROPICAL. As massas de arequatoriais são, em geral, quentes e úmidas, e sua expansão máxima ocorre nos meses deverão. Devido à diferença das estações do ano, nos dois hemisférios, ela oscila, ora para o norte(quando é verão por lá) ora para o sul (quando é verão por aqui). Quando as massas de archegam ao Equador (ou em suas vizinhanças), as temperaturas elevadas fazem com que o arsuba, dando origem a um processo invertido: o ar passa a se deslocar, em altitude, em direçãoaos polos.

Essa dinâmica é responsável pelos diferentes TIPOS DE TEMPO (isto é, o aqui e agora dascondições de temperatura, umidade e ventos). Como a ação das massas de ar é constante,ocorre a sucessão habitual dos tipos de tempo que caracteriza os diferentes TIPOS DECLIMA. A compreensão dos tipos de clima é feita através do uso de CLIMOGRAMAS que servempara demonstrar os “arranjos” da temperatura e umidade, num dado local e demonstram a“sucessão habitual dos tipos de tempo”. Daí sua importância.

Como no caso das massas de ar temos “famílias” de tipos de clima:
Polares, temperados, tropicais, equatoriais e desérticos que podem apresentar grandes variações entre si, seja em função da dinâmica das massas de ar que atuam em cada umadessas Zonas Térmicas, seja em função dos fatores climáticos existentes.

Considerando as condições “especiais” dos diferentes tipos de clima, desenvolvem-sediferentes ecossistemas, identificados a partir da cobertura vegetal e da fauna que abrigam.
Assim, reconhecemos dois grandes conjuntos:

as formações zonais que se dispõem ao longo dos paralelos, e se desenvolvem acompanhando as zonas climáticas (polar, temperada, intertropical) que se apresentam (naverdade se apresentavam) ocupando grandes áreas, como é o caso das florestas (equatoriais,temperadas e boreal, ou taiga), dos cerrados e savanas, típicos das áreas tropicais ou das estepes e pradarias (campos, campanha, pampa), típicos das zonas temperadas. Nas zonas polares, onde as condições climáticas são muito rigorosas, praticamente não tem vegetação, anão ser num curto período de tempo (verão, degelo), quando se desenvolve uma vegetaçãomuito rala, chamada de tundra, mais comum no hemisfério norte, nas zonas sub-polares.

EM RESUMO:

as MASSAS DE AR apresentam condições que as identificam com suas áreas de origem, ese modificam em função das condições locais, encontradas ao longo de seus deslocamentos.

São esses deslocamentos que são chamados de CIRCULAÇÃO GERAL DA ATMOSFERA Originam-se em áreas de ALTA PRESSÃO e se deslocam para áreas de BAIXA PRESSÃO.

Como regra geral, as massas de ar se deslocam na superfície terrestre dos polos emdireção ao Equador, gerando os ventos alísios (definidos como ventos constantes que sedeslocam dos centros de alta pressão tropicais para os centros de baixa pressão equatoriais) e retornam em altitude realimentando o ciclo de deslocamento (os contra alísios).

As massas de ar podem ser:
- POLARES
- TROPICAIS
- EQUATORIAIS

No Brasil, as massas de ar, tropicais, equatoriais e a polar, atuam durante todo ano e sãoresponsáveis pelas características climáticas gerais, dos climas brasileiros. Apesar das constantes modificações, os TIPOS DE TEMPO, criam padrões definidos, porexemplo, épocas de chuvas ou secas; épocas mais quentes ou mais frias...










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...